Estrela prevê mais de 50 mil toneladas de entulhos

efeitos das cheias

Estrela prevê mais de 50 mil toneladas de entulhos

Resíduos gerados pelas cheias de novembro são armazenados em frente ao complexo do porto. São mais de 20 equipes que atuam diariamente na limpeza do município

Por

Estrela prevê mais de 50 mil toneladas de entulhos
Equipes trabalham durante 24 horas na limpeza de vias. (Foto: Ezequiel Neitzke)
Estrela

Em decorrências das cheias históricas que atingiram a região, Estrela enfrenta novamente o desafio de recolher diariamente milhares de quilos de entulhos. As ações iniciaram na área urbana no início do mês. Ao todo, já foram armazenadas mais de 30 mil toneladas em frente ao complexo portuário.

A Secretaria de Infraestrutura Urbana prevê mais de 50 mil toneladas de resíduos. Além da retirada de entulhos, também são removidos pedaços de casas destruídas e lama das ruas do município. De acordo com o secretário Osmar Muller, o trabalho deve durar, pelo menos, mais 120 dias.

As frentes de trabalho estão divididas em bairros que foram atingidos e que podem ser habitados. Por ora, a pasta não contabiliza resíduos das localidades de Moinhos, Loteamento Marmitt e Vila Tereza. São mais de 20 equipes que se revezam em máquinas durante as 24 horas, além dos 30 caminhões que levam os entulhos ao Porto de Estrela, afirma o secretário.

“O aumento deste volume de entulhos ocorreu porque atingiu mais bairros, mais locais que não eram alcançados pela água. Temos equipes trabalhando 24 horas para dar conta desta demanda, para liberar as áreas com mais circulação. Para agilizar esse processo, contamos com o auxílio do Exército e da prefeitura de Blumenau”, explica Muller.

O grande volume de detritos em bueiros também causa problemas nas vias. Partes da cidade sofrem com o acúmulo de água em dias de chuva. Junto à limpeza das ruas, as equipes fazem o recolhimento dos resíduos na rede de drenagem. “Estamos fazendo o trabalho preventivo e a desobstrução é feita com hidrojatos. É um processo mais demorado”, esclarece o secretário.

Armazenamento e retirada

Os entulhos são colocados novamente no complexo portuário devido licenciamento ambiental. Além disso, o espaço fica localizado de forma estratégica nas proximidades da BR-386, o que facilita a remoção dos resíduos. Caso o material não seja transportado novamente a Minas do Leão, o município viabilizou segunda opção em uma saibreira na Linha Geraldo.

Via alagada

A Avenida Augusto Frederico Markus, em frente ao Porto de Estrela, segue alagada. O acúmulo de água na via impede o tráfego de veículos em direção à BR-386. Muller explica que há um problema na canalização nas proximidades. “Ali existem canos desde a extensão do Rio Taquari até o terreno do complexo. Vamos esperar a água baixar para poder desobstruir”, afirma.

O secretário destaca que o acúmulo da água não é ocasionado pelos entulhos no local. O trabalho de desobstrução deve ser feito com hidrojato.

Acompanhe
nossas
redes sociais