“É reconstruir melhor do que era”, diz secretário Pedro Capeluppi

ENTREVISTA – CONEXÃO REGIONAL

“É reconstruir melhor do que era”, diz secretário Pedro Capeluppi

Escolhido pelo Governador para comandar a secretaria da Reconstrução Gaúcha definiu instalação de um plano eficiente de contingência, recuperar rodovias e dar andamento aos projetos de habitação como temas prioritários

Por

“É reconstruir melhor do que era”, diz secretário Pedro Capeluppi
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Escolhido por Eduardo Leite para comandar a secretaria estadual da Reconstrução Gaúcha, Pedro Capeluppi terá a missão de representar o governo nas demandas pelos municípios atingidos pela enchente de maio. Em entrevista ao Conexão Regional da Rádio a Hora, o responsável pela pasta elencou a recuperação de rodovias e acesso, habitação e um modelo de enfrentamento a desastres naturais mais eficientes como as prioridades do seu trabalho.

Conforme Capeluppi, os editais para definição das empresas que farão trabalhos nas vias mais afetadas estão em execução e há o entendimento pelo governo da urgência do tema para retomada das atividades do setor produtivo, especialmente. “O papel é de articular os trabalhos das secretarias e dar velocidade aos processos. Temos que ser mais ágeis do que nunca”, identifica.

O secretário reiterou a necessidade de manter um alinhamento com o governo federal, especialmente com as equipes técnicas e agentes políticos, para que os trabalhos do Estado e União não se confrontem, especialmente na resolução de problemas habitacionais. “Sempre é possível desburocratizar, claro atendendo as questões técnicas. Estamos em tratativas para construir moradias em um tempo menor e chegar nas demandas que o governo federal não alcança”, complementa.

O ex-secretário estadual de Parcerias confirmou ainda que o plano de concessão de rodovias gaúchas segue, mesmo com a catástrofe de maio. A ideia é que no segundo semestre ocorra uma devolutiva dos pedidos feitos pelos líderes municipais para que o assunto avance ainda em 2024.

Assista a entrevista completa:

Acompanhe
nossas
redes sociais