Municípios da região se destacam em ranking de taxa de alfabetização

EDUCAÇÃO

Municípios da região se destacam em ranking de taxa de alfabetização

Westfália possui segundo melhor desempenho do país e lidera no RS, conforme dados divulgados pelo IBGE. Prefeito atribui percentual a trabalho de longo prazo. Outras seis cidades figuram no top 100 nacional

Por

Municípios da região se destacam em ranking de taxa de alfabetização
Percentual de alfabetizados em Westfália é o segundo maior do país. (Foto: Paloma Driemeyer)
Vale do Taquari

Sete cidades entre os 100 melhores taxas de alfabetização do país, sendo que uma delas possui o segundo maior percentual nacional, atrás apenas de um município catarinense. É o que apontam dados divulgados este mês pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dentro do panorama do Censo 2022.

Destaque recente em outros rankings, como o do Índice Firjan, Westfália volta a ficar em evidência a partir da publicação do IBGE. A taxa, de 98,95%, só é superada pela cidade de São João do Oeste, localizada na região do extremo oeste de Santa Catarina, que superou a barreira dos 99% de população alfabetizada.

No estudo, também aparecem em destaque cidades como Teutônia (14º), Arroio do Meio (40º), Colinas (45º), Imigrante (60º), Estrela (85º) e Nova Bréscia (89º). Além de estarem no top 100 nacional, figuram, ainda, entre os 50 municípios com maiores índices no recorte gaúcho.

Ao todo, 34 das 38 cidades do Vale do Taquari possuem taxa de alfabetização acima da média nacional (93%). Apenas Progresso, Boqueirão do Leão, Pouso Novo e Sério ficam com índices inferiores ao registrado no país, que conta com mais de 11 milhões de pessoas não alfabetizadas.

Trabalho de longo prazo

Não é de hoje que Westfália ostenta bons índices socioeconômicos. Para o prefeito Joacir Docena, o desempenho no ranking divulgado pelo IBGE é fruto de um trabalho de longo prazo, desde o período da emancipação político-administrativa, com gestões municipais sempre preocupadas com o futuro do município.

Segundo o gestor, dois fatores são essenciais para que a taxa de alfabetização seja tão alta. “Primeiro, é o material humano. Nossos professores, secretários, as pessoas que trabalham na área da educação, a capacitação delas. Isso é o principal. E também o investimento em escolas, no conforto dos alunos. É um atrativo para eles estudarem, se dedicarem”, afirma.

Docena comenta que, nos últimos anos, o Executivo têm qualificado a estrutura das escolas, com reformas e ampliações. “Estamos colhendo os frutos de investimentos que não vem de agora. Não medimos esforços para que a nossa educação seja de qualidade. Quando se tem as diretrizes certas, você não as muda, e sim busca aperfeiçoá-las”.

Reflexo na economia

A taxa de alfabetização é uma medida estatística que indica a porcentagem da população que possui habilidades básicas de leitura e escrita em uma determinada faixa etária, envolvendo também a compreensão, análise e capacidade de pensamento crítico.

Segundo Docena, bons índices na educação refletem em melhores oportunidades econômicas para os municípios, como é caso de Westfália. “Que o nosso desempenho possa servir de incentivo para outras prefeituras, de cidades do mesmo porte que a nossa. Acredito em um trabalho sério e bem feito”.

Motivo de orgulho

Com uma população crescente – a segunda maior da região – Teutônia busca se manter como referência em educação no Vale. E a taxa de alfabetização divulgada pelo IBGE é um bom indício para o município. No ranking, é o 14º maior índice do país e o sexto do RS, atrás apenas da vizinha Westfália e de cidades da Serra e do Noroeste gaúcho.

“Para nós, é motivo de orgulho conquistar essa posição. É uma motivação para darmos continuidade ao nosso trabalho”, frisa a secretária de Educação, Andreia Luersen.

Acompanhe
nossas
redes sociais