EGR homologa escolha de empresa responsável por nova ponte da ERS-130

Melhor proposta

EGR homologa escolha de empresa responsável por nova ponte da ERS-130

Engedal Construtora, de São José (SC), executará obra que vai substituir estrutura levada pela enchente do Rio Forqueta. Ordem de serviço será emitida nos próximos dias

Por

EGR homologa escolha de empresa responsável por nova ponte da ERS-130
Ponte ERS-130 (Foto: Felipe Neitzke)
Vale do Taquari

A Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) homologou nesta sexta-feira, 31, a empresa vencedora da concorrência pública para execução da nova ponte da ERS-130, entre Lajeado e Arroio do Meio. Cinco empresas participaram da disputa pelo menor valor global. A Engedal Construtora de Obras Ltda, de São José (SC) fará a elaboração do projeto e construção da travessia. A ordem de início será assinada nos próximos dias.

Estimada em mais de R$ 14 milhões, a nova ponte sobre o Rio Forqueta terá 150 metros de extensão, com duas pistas no pavimento principal. A estrutura ficará acima do nível das cheias anteriores, para garantir maior segurança à população em cenários climáticos futuros.

O projeto leva em consideração a alta densidade de tráfego na região, com mais de 2,6 milhões de veículos, sendo 613 mil caminhões e automóveis comerciais, que cruzam o trecho anualmente. A previsão é de concluir a obra – financiada com recursos próprios provenientes da praça de pedágio da EGR – no prazo de seis meses.

A construção de uma ponte com essas características não apenas implica em um desafio técnico mais complexo, mas também demonstra o compromisso em oferecer soluções de infraestrutura que atendam plenamente às necessidades locais. Outra novidade é o planejamento de um espaço dedicado a pedestres e ciclistas, que oferece novas opções de mobilidade sustentável e acessibilidade às comunidades de Lajeado e Arroio do Meio.

O diretor-presidente da EGR, Luís Fernando Vanacôr, destacou a importância dessa obra como um símbolo de conexão, ressaltando a importância da ponte para a mobilidade e a economia do Estado. “Essa construção rrepresenta, acima de tudo, a materialização de conexões, de caminhos que unem pessoas, comunidades e oportunidades. Cada viga a ser colocada vai simbolizar a superação de desafios, o progresso e a promessa de novos horizontes”, declarou.

Acompanhe
nossas
redes sociais