“Catástrofe mostra onde erramos”, diz diretor da Tomasi Logística

ENTREVISTA | FRENTE E VERSO

“Catástrofe mostra onde erramos”, diz diretor da Tomasi Logística

Diego Tomasi entende que impacto da cheia poderia ser amenizado com execução de investimentos

Por

“Catástrofe mostra onde erramos”, diz diretor da Tomasi Logística
Diego Tomasi, diretor do Setcergs e da Tomasi Logística (Foto: Rodrigo Gallas)
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Os danos que a cheia causou nas estradas e rodovias do Estado mostram o tamanho da desorganização dos governos em relação a infraestruturas rodoviárias. “Há quanto tempo falamos em uma duplicação entre Lajeado e Arroio do Meio?”, questiona diretor da Tomasi Logística, Diego Tomasi.  

Diretamente afetado pelos danos estruturais, o setor de logística está sendo diretamente afetado, com as viagens se tornando mais longas e os preços mais elevados. Uma viagem que antes acontecia entre dois e cinco dias, atualmente pode levar até vinte e com aumento nos custos de 30%. O diretor da companhia relata que as maiores dificuldades de tráfego são na BR-116 e na RSC-287.  

Tomasi pondera que as informações compartilhadas através do rádio e das plataformas digitais, são essências aos motoristas, auxiliando em planejar a rota a ser seguida. “Com informações conseguimos chegar a qualquer lugar.” Entretanto, o diretor observa que a rodovias privatizadas, possuem um canal de comunicação melhor em relação as não. “No caso das não privatizadas, as informações não chegam, é preciso averiguar a situação com terceiros.”  

Para finalizar, ele menciona que é necessária uma reestruturação estrutural, para que se caso aconteça novamente tamanha catástrofe, as consequências não sejam as mesmas.  

Assista a entrevista na íntegra 

Acompanhe
nossas
redes sociais