“Olhar para as raízes nos mantém atentos ao que é básico e que funciona”

Meu negócio

“Olhar para as raízes nos mantém atentos ao que é básico e que funciona”

Especialista explica como o uso da metodologia ágil pode beneficiar a equipe comercial e aumentar as vendas, diante de cenários adversos

Por

“Olhar para as raízes nos mantém atentos ao que é básico e que funciona”
Gabriel Garcia participou do programa "O Meu Negócio" desta segunda-feira, 20. (Foto: Deivid Tirp)

Recuperar a confiança e impulsionar as vendas tornaram-se tarefas cruciais para a revitalização econômica do Vale do Taquari. À medida que os primeiros desafios pós-cheias começam a aparecer, os empresários já se veem diante de grandes incertezas quanto ao rumo dos negócios. Diante deste cenário, o programa “O Meu Negócio”, convidou o diretor da Dale Carnegie, Gabriel Garcia, para explicar como o uso da metodologia ágil pode beneficiar as equipes comerciais e fomentar as vendas diante de cenários adversos.

Para Garcia, um movimento importante das empresas é conseguir identificar os processos simples que dão certo. “Olhar para as raízes nos mantém atentos ao que é básico e que funciona. Em um momento como esse, é preciso olhar para o negócio de uma forma mais madura, mas principalmente, protegendo o caixa”.

Em um comparativo com as contas pessoais, Garcia explica que as empresas precisam verificar suas economias, assim como as famílias fazem para planejar os gastos futuros. “Muitas empresas já fizeram esse tema de casa, de olhar o fluxo de caixa para os próximos 30 ou 60 dias. Outras ainda precisam começar”.

Além disso, é inevitável que os próximos passos dos times sejam definidos por ordem de prioridade ou com base em ferramentas de gestão, como a análise SWOT, que indicam as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do cenário. Desta forma, segundo Garcia, fica mais fácil compreender em qual momento a empresa se encontra. Se há potencial para se desenvolver ou está em fase de manutenção e/ou sobrevivência.

Metodologia aplicada a retomada empresarial

Em setembro de 2023, quando ocorreu a primeira enchente, Garcia conta que a equipe do Dale Carnegie precisou de tempo para entender como se comportar diante do cenário. Em novembro, com a repetição do episódio, os primeiros passos já estavam melhores definidos.

“Mas quando aconteceu pela terceira vez, em maio deste ano, nossa leitura estava mais afinada. A primeira coisa que a gente fez foi entender onde os nossos clientes se encaixam, porque há aqueles que foram afetados, os parcialmente atingidos e os que não foram”, explica.

Com base nessa análise de diagnóstico, estabeleceu-se uma metodologia para retomada empresarial, que Gabriel compartilha o passo a passo clicando aqui. Somente ao fazer o levantamento dos clientes, tanto os ativos quanto os inativos, foi possível saber qual posicionamento a empresa teria com eles e com o mercado.

“Uma coisa é o que eu quero e outra é o que a minha empresa pode. Então, fazer esse exercício é o primeiro passo. Depois, se faz um levantamento para ver caixa, se há condições financeiras, ou precisa novos prazos”, esclarece. “Costumo recomendar para os clientes para trabalharem com planejamento estratégico, seja para um, três ou cinco anos”.

O bate-papo completo pode ser conferido nas plataformas digitais do Grupo A Hora ou no vídeo abaixo. O programa “O Meu Negócio” é transmitido ao vivo nas segundas-feiras, na Rádio A Hora 102.9 e nas plataformas digitais. Tem o patrocínio de Motomecânica, Kappel Imóveis, Black Contabilidade, Marcauten, Grupo Zagonel, A Mobília Lajeado, Dale Carnegie, Sunday Village Care, 3F1B Móveis Estratégicos e STW Automações.

 

Acompanhe
nossas
redes sociais