“Enquanto houver necessidade, estaremos aqui”

SOLIDARIEDADE

“Enquanto houver necessidade, estaremos aqui”

Professor de artes marciais, Antônio Marcos de Borba, o “Marcão”, ajuda a população de Estrela na distribuição de cestas básicas e na limpeza das casas. Durante a enchente salvou mais de 500 pessoas

Por

“Enquanto houver necessidade, estaremos aqui”
Foto: Daniély Schwambach
Estrela
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Em meio à devastação causada pelas enchentes que assolaram a cidade de Estrela, algumas histórias de superação e de solidariedade começam a surgir. É o caso do professor de artes marciais e multicampeão de jiu-jitsu, Marcos Borba, o “Marcão”, 39, que após ser atingido pela cheia, ajuda as pessoas que necessitam de apoio.

Diferente de setembro de 2023, quando a enchente chegou até a porta da academia, a água dessa vez entrou e alcançou quatro metros no estabelecimento. “Conseguimos tirar algumas coisas, mas muito foi perdido. Quando a água baixou, limpamos tudo com a ajuda de um caminhão-pipa, pois ninguém tinha água ou luz”, relata Marcão.

Imediatamente após a limpeza, ele e sua equipe, composta por membros da comunidade e voluntários de diversas regiões, se mobilizaram para ajudar os afetados. “O apóstolo Wagner Calheirana, da Igreja Cristo Vive, e meu vizinho Pinheiro foram fundamentais na organização dos esforços. A ajuda não parou de chegar, com contatos do mundo todo e uma equipe de cerca de 100 pessoas, incluindo voluntários de estados como Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro”, conta.

Ao lado de Wagner Calheirana, Marcão ajuda a população com cestas básicas e mantimentos Foto: Daniély Schwambach

O trabalho do grupo de Marcão vai além da distribuição de mantimentos. Diariamente, são entregues cerca de 800 a mil cestas básicas, além de kits de limpeza, higiene, colchões e roupas. “Nossa prioridade é dar dignidade às pessoas, oferecendo não apenas comida, mas também apoio emocional e espiritual. Além dos itens básicos, entregamos bíblias e compartilhamos palavras de conforto e fé. Todos que vem aqui ganham um abraço”, explica.

Foto: Daniély Schwambach

Mais de 500 resgates

Marcão também esteve à frente dos esforços de resgate durante as enchentes. Utilizando seu conhecimento local e habilidades de navegação, ajudou a retirar mais de 500 pessoas das áreas inundadas, muitas vezes arriscando a própria vida. “Os bombeiros me chamaram de herói por conseguir chegar a lugares inacessíveis. Mas fui apenas um instrumento de Deus”, afirma.

Ele cita que entre os resgates mais marcantes estão idosos com corda, amputados, pessoas recém-operadas e nascidas.

A academia Dojô Marcão Borba permanece aberta das 5h às 22h de segunda a segunda, e atende a todos que precisam de ajuda. “Enquanto houver necessidade, estaremos aqui. Quem quiser ajudar pode nos contatar pelo Instagram Dojô Marcão Borba. Não pedimos dinheiro, mas aceitamos doações de itens essenciais”, conclui.

Acompanhe
nossas
redes sociais