O preparo antes da recepção ao presidente Lula

política e cidadania

O preparo antes da recepção ao presidente Lula

Comitiva federal desce de helicóptero por volta das 15h no complexo esportivo da Univates. Forças de segurança traçam estratégias para garantir “incidentes zero” durante atos oficiais

Por

O preparo antes da recepção ao presidente Lula
Presidente Lula participa de ato na Fiergs em Porto Alegre. Depois vem para Lajeado, onde apresenta contas do socorro federal pós-enchente. (FOTOS: DIVULGAÇÃO)
Vale do Taquari

Policiais fardados, outros com trajes civis. Movimento intenso de viaturas e instalação de alertas sobre presenças de drones. O dia anterior à chegada do presidente Lula e dos ministros foi de preparo e ajustes de estratégias.

Com uma comitiva de ministros, o chefe da República chega em Lajeado hoje por volta das 15h. Desce de helicóptero no complexo esportivo da Univates. É recepcionado por autoridades locais e entra no veículo oficial. Escoltado por batedores, percorre algumas ruas da cidade, até chegar ao teatro da universidade.

Entre as equipes de segurança, o comando é pela guarda presidencial, composta por agentes da Polícia Federal. No apoio, estará a Polícia Rodoviária Federal, e demais corporações, como a Brigada Militar, a Polícia Civil e demais forças.

Teatro da Univates será o palco para primeira visita de um presidente eleito ao Vale do Taquari na história. (Foto: FILIPE FALEIRO)

Rotas de fuga, controle do espaço aéreo, restrições para circulação em áreas com muito movimento estão entre os cuidados. O aparato é muito superior ao visto durante a passagem da primeira-dama, Janja da Silva, em 28 de setembro do ano passado.

Entre as bases partidárias, listas de apoiadores foram organizadas para garantir a entrada no teatro. Estão representantes de movimentos sociais, filiados ao Partido dos Trabalhadores, vereadores e simpatizantes.

Também o contrário. Pessoas ligadas à direita pretendem fazer um protesto pela cidade, inclusive na entrada para o local dos atos presidenciais. Um integrante do grupo de organizadores, afirma que qualquer manifestação será respeitada. Ainda assim, o presidente Lula não deve circular nos locais junto com o público. “Temos que evitar qualquer incidente. Seja algo mais grave, ou mesmo de alguém jogar algo no presidente, um ovo, um tomate, ou algo do gênero. Temos de garantir ‘incidente zero’.”, diz o agente que não quis se identificar.

Expectativa

Pela programação, o presidente fará uma prestação de contas das ações do governo federal após a calamidade provocada pelas enchentes, em especial devido a inundação dos dias 4 e 5 de setembro.

Também são esperados anúncios, em especial voltado ao restabelecimento da capacidade produtiva das mais de mil empresas prejudicadas pelos fenômenos.

Neste sentido, a cobrança é para o cumprimento da promessa de R$ 1 bilhão em crédito subsidiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O presidente Lula, ao lado do vice, Geraldo Alckmin, em vídeo divulgado pelas redes sociais do governo garantiram amparo aos negócios.

No entanto, o modelo de financiamento com juros subsidiados e carência de dois anos foi restrito para empresas do Simples Nacional, pelo Programa Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Pronampe) e também para produtores rurais.

Os recursos para este público não atingiram o montante prometido. Foram cerca de R$ 700 milhões, dissolvidos para negócios em mais de 90 municípios gaúchos com situação de calamidade homologada.

Sem a divulgação da lista dos beneficiados, não se sabe quais os empreendimentos por município foram contemplados. Apenas os números gerais de créditos acessados nas instituições.

Para as maiores indústrias, com faturamento de até R$ 300 milhões, nenhuma linha voltada à calamidade atendeu o esperado. Deste modo, há uma expectativa de novidade neste sentido.

Comitiva federal

 

  • Vice-presidente e Ministro de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Alckmin
  • Ministra da Saúde, Nísia Trindade
  • Ministro da Educação, Camilo Santana
  • Ministro da Agricultura, Carlos Fávaro
  • Ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira
  • Ministro da Integração Nacional, Waldez Góes
  • Ministro dos Transportes, Renan Filho
  • Ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Paulo Pimenta

Acompanhe
nossas
redes sociais