CCR ViaSul promete retomada em um mês

política e cidadania

CCR ViaSul promete retomada em um mês

Em reunião com conselho de usuários, empresa admite atrasos e afirma que duplicação recomeça até 15 de abril. Municípios lindeiros da BR-386 protocolam 18 pedidos de revisão ou acréscimos ao plano original. Líderes locais convocam ANTT e concessionária para nova rodada de conversas

Por

CCR ViaSul promete retomada em um mês
Reunião na manhã de ontem foi organizada pela ANTT e serviu para análise dos cinco anos de concessão da BR-386. (Foto: Divulgação/Amvat)
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A resposta da CCR ViaSul durante reunião da comissão tripartite na manhã de ontem em Porto Alegre não trouxe novidades. Se esperava que o nome da futura contratada para finalizar a duplicação fosse anunciado. Na verdade, serviu para reafirmar a garantia de que a interrupção está com os dias contatos.

Conforme o gerente executivo de contratos da CCR ViaSul, Breno Ferreira Leal, as tratativas com a futura terceirizada estão avançadas e o acordo será apresentado quando o contrato for assinado.

“A gente reconhece que tivemos problemas. Agora tomamos as medidas cabíveis. Vamos retomar o trabalho e posso afirmar, que no próximo mês, teremos um grande movimento de obras na BR-386”, afirmou Leal durante o encontro.

Foi a 8º reunião do grupo desde a formação do conselho de usuários, entre 2020 e 2021, e marcou os primeiros cinco anos de concessão. Uma comitiva regional acompanhou a programação.

Também estavam representantes de outras regiões gaúchas lindeiras a BR-386. No detalhamento técnico feito pela equipe de engenharia da CCR ViaSul, o assunto dominante foi o segundo trecho de duplicação, de Fontoura Xavier a Soledade, obra em andamento e sob responsabilidade da empresa Novonor.

A CCR Viasul venceu o leilão para gerir as BRs 386, 101, 290 e 448 em novembro de 2018. O contrato faz parte do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), e a empresa terá que investir mais de R$ 7,8 bilhões em 30 anos de concessão.

A comitiva regional na reunião teve presença do presidente da Câmara da -VT, Ivandro Rosa, dos prefeito de Estrela (Elmar Schneider), de Bom Retiro do Sul (Edmilson Busatto), de Marques de Souza (Fábio Mertz), da diretora da E-Log, Andressa Traesel, do representante da câmara de Marques de Souza, Amenofis Stacke, e do integrante da Federasul e presidente da Associação Comercial de Encantado (Aci-E), Angelo Fontana.

Mais comunicação

O grupo de representantes do Vale do Taquari adotou como estratégia se concentrar nos prazos para a entrega da duplicação de Marques de Souza até Estrela.

Conforme o presidente da Câmara da Indústria e Comércio (CIC-VT), Ivandro Rosa, mudanças na organização da CCR ViaSul distanciaram o diálogo entre região e empresa.

“Reforçamos a solicitação para que seja nomeado um gestor definitivo para atuar em Porto Alegre. Hoje, todas as decisões vão para São Paulo”, diz. Esse distanciamento, acrescenta, faz com que se tenha dificuldades em tirar dúvidas, fazer sugestões ou construir alternativas para reduzir o impacto da obra na comunidade.

Para o prefeito de Bom Retiro do Sul, vice-presidente da Amvat, Edmilson Busatto, o mais importante da reunião foi o compromisso assumido pela CCR ViaSul para se aproximar dos municípios e da comunidade. “Esperamos que se tenha mais diálogo, em especial com os moradores e empresários que estão próximos da rodovia.”

Conforme o representante da concessionária, o plano é nomear um gerente para acompanhar os trabalhos no Rio Grande do Sul. No entanto, não foi apresentado um prazo para tanto.

Revisão em obras e acréscimos

Entre toda a área de concessão, com municípios da região Metropolitana, Vale do Taquari e Norte, foram protocolados 18 projetos de revisão ou acréscimo de obras ao plano original. Apenas a sugestão de Estrela, de construir um túnel entre os bairros Pinheiros e Imigrantes foi apresentado.

O acesso ao Pinheiros, para quem trafega no sentido capital-interior foi fechado. Isso representou engarrafamentos e dificuldades para centenas de trabalhadores, empresas e famílias. Mas não só isso, o trecho também era uma alternativa para motoristas de outros municípios, em especial para quem trafegava pela Rota do Sol.

De acordo com o prefeito de Estrela, Elmar Schneider, essa interligação precisa estar entre as obras prioritárias, pois desafoga todo o fluxo interno, quanto de desvios para condutores de outras localidades que precisam chegar na Rota do Sol. “Hoje só temos ligação pelo acesso principal. Quem conhece Estrela sabe como o trânsito está carregado naquele ponto.”

Reunião extra

Devido a pressão dos líderes regionais, outro momento para debate das obras foi agendado. O encontro foi marcado para o dia 8 de maio, às 8h, em Estrela. O local ainda será definido.

O motivo foi pela falta de tempo para analisar as demais reivindicações. Sem saber quais poderão ser incluídos, a comitiva regional convocou a ANTT e a CCR ViaSul. Na oportunidade, as cidades do Vale terão a oportunidade de defender a importância de cada intervenção não prevista no plano original.

A oficialização de cada proposta entregue na reunião de ontem será organizada e envidada à comissão tripartite nos próximos dias. O intuito é garantir que concessionária, ANTT e conselho dos usuários tenham conhecimento de cada ponto apontado como prioritário pelos municípios.

Acompanhe
nossas
redes sociais