Prefeito busca alternativas para moradias aos atingidos pela cheia

MUÇUM

Prefeito busca alternativas para moradias aos atingidos pela cheia

Mateus Trojan espera conseguir junto ao governo federal imóveis para as famílias que não se enquadraram nos programas sociais

Por

Prefeito busca alternativas para moradias aos atingidos pela cheia
Encontro ocorreu em Porto Alegre com o secretário de Habitação e Regularização Fundiária do Estado, Carlos Gomes. (Foto: Divulgação)
Muçum
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Na quinta-feira, 22, o prefeito Mateus Trojan se encontrou com o secretário de Habitação e Regularização Fundiária do Estado, Carlos Gomes. A pauta da reunião foi o alinhamento para a construção das casas permanentes às famílias atingidas pelos eventos climáticos de setembro de 2023, no terreno desapropriado pelo Estado no ano passado.

Segundo Trojan, durante o encontro os dois conversaram sobre a questão do uso do terreno com a finalidade habitacional em Muçum. “É um processo concluído, o proprietário já recebeu o valor do processo de desapropriação amigável e agora precisamos alinhar a questão da composição do espaço, do projeto de loteamento e assim executar os primeiros processos”, aponta.

O terreno foi desapropriado para o programa Minha Casa, Minha Vida na modalidade Calamidade, logo parte do espaço será utilizada para esse fim. “E a outra parte nós estudamos alternativas com o governo do Estado para poder atender famílias que não estão enquadradas nos programas do governo federal, seja por questão de renda ou outros fatores. É nosso compromisso conseguir entregar uma casa nova e fora da área de risco a essas famílias que perderam suas residências”, salienta o prefeito.

Comitiva de Ministros

Na próxima quinta-feira, 29, o município irá receber o Ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, e o Ministro das Cidades, Jader Filho. Conforme Trojan, o governo de Muçum espera a confirmação de alguns anúncios referente as residências do Minha Casa, Minha Vida Rural, que foca na reconstrução das casas destruídas no interior. “Também fora da área de risco, mas nas propriedades desses moradores, diferente do outro processo que é um loteamento que contempla todas as casas”, explica Trojan.

A quantidade de casas na modalidade rural que será anunciada na presença dos ministros ainda não foi definida. “É uma boa notícia para esse público que reside no interior, que poderão ser contemplados em suas propriedades, com a condição de não ser área alagável” ressalta o prefeito.

Acompanhe
nossas
redes sociais