“Quando você começa a trabalhar com isso, percebe que beber é uma parte pequena”

ABRE ASPAS

“Quando você começa a trabalhar com isso, percebe que beber é uma parte pequena”

Natural de Roca Sales, Michael Waller, 41, reside atualmente em Porto Alegre. Entusiasta da área vinícola, o empresário do setor de tecnologia da informação já escreveu livros sobre essa bebida que faz parte da cultura gaúcha. Com sete obras publicadas, o escritor conta sobre sua trajetória profissional e aconselha aqueles que almejam trilhar o mesmo caminho.

Por

“Quando você começa a trabalhar com isso, percebe que beber é uma parte pequena”
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Como começou sua história com os vinhos?

Comecei como consumidor, apaixonado por degustar. Mas se tornou sério cerca de 10 anos atrás, quando dei início aos cursos na área, fiz algumas formações na parte de sommelier, que é o profissional que estuda e que faz degustações técnicas de vinhos e espumantes. E há 4 anos, lancei o meu primeiro livro sobre vinhos. As obras que seguiram foram um caminho meio que natural, sempre ouvindo os leitores, me empenhava em pesquisar para depois escrever sobre tudo aquilo que me indagavam. Vamos dizer que sou um consumidor e estudante há mais de 20 anos, e pesquisador há cerca de 10 anos. E sim, sou um escritor com foco em vinhos há 4 anos.

E sobre a sua empresa?

Minha primeira atuação profissional é como diretor executivo da CyberSul, empresa que fundei com meu pai em 2001. Meu pai era sócio de uma empresa onde saiu naquela época, e me convidou então para fundar um novo estabelecimento, a CyberSul. No primeiro momento fiquei responsável pela área de softwares. Aos poucos fui atribuindo, ganhando mais funções e hoje sou diretor executivo, e divido então meu tempo com as duas atividades profissionais. Acredito que 70% do meu tempo é dedicado à CyberSul e os outros 30% às demandas profissionais com vinho.

Qual foi o livro que mais lhe marcou das suas obras?

Dois livros me marcaram bastante. Um deles foi o livro “101 Vinhos Brasileiros”, que realmente ganhou uma repercussão enorme. É o meu livro mais vendido e mais reconhecido. Ele ganha a primeira edição em 2021, mas no final do ano passado, fizemos uma reimpressão desse livro. Dois dias depois aparecemos em primeiro na Amazon Brasil. O segundo que mais marcou a minha vida profissional foi o “Vinhos dos Altos Montes: Vinho Brasileiro de Qualidade”, pois eu pude contar a história de 14 famílias produtoras, entrevistar pessoas responsáveis pelas 14 vinícolas. E nisso tive a experiência de conhecer variadas histórias, desde uma pequena vinícola no fundo do porão de uma casa, até uma das maiores indústrias de bebida do Estado.

Que conselho você daria para alguém que quer seguir nesse ramo?

A primeira dica é escolher o que quer fazer dentro do mercado vinícola. As pessoas, muitas vezes, são atraídas pela área devido à oportunidade de poder degustar vários vinhos, ou poder beber todo dia, mas, na verdade, quando você começa a trabalhar com isso, percebe que beber é uma parte pequena. Você descarta o vinho, cospe, ou seja, acaba não ingerindo o vinho. O trabalho de verdade é muitas vezes romantizado por aqueles que desconhecem o setor.

Acompanhe
nossas
redes sociais