Free flow registra 187 mil veículos em seu primeiro mês de operação

NOVO SISTEMA

Free flow registra 187 mil veículos em seu primeiro mês de operação

Levantamento da concessionária CSG apontou baixa inadimplência no primeiro mês de funcionamento do pedágio de livre passagem

Por

Free flow registra 187 mil veículos em seu primeiro mês de operação
Tecnologia permitirá circulação mais fluída (Foto: Gustavo Mansur/Secom)
Estado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O primeiro mês de funcionamento do free flow, pedágio de fluxo livre, localizado na estrada ERS-122, entre Flores da Cunha e Antônio Prado, foi considerado satisfatório pelo governo do Rio Grande do Sul.

A nova tecnologia, que entrou em operação em 15 de dezembro, pela primeira vez em uma rodovia estadual do país, registrou a passagem de mais de 187 mil veículos e uma taxa de inadimplência de aproximadamente 12%, segundo dados da concessionária que administra a rodovia, a Caminhos da Serra Gaúcha (CSG).

O free flow é um sistema que funciona por meio de pórticos de cobrança, que eliminam a necessidade de praças de pedágio, possibilitando aos condutores uma maior fluidez, sem paradas ao longo do percurso. O valor da tarifa é R$ 8,30, o mesmo da antiga praça de pedágio de Flores da Cunha. O motorista que passar pelo pórtico pode pagar no site ou no app da concessionária (www.csg.com.br), com pix ou cartão de crédito.

Segundo a empresa, dos veículos que passaram pelo pórtico localizado no km 108,3 da ERS-122, em Antônio Prado, na Serra Gaúcha, 46% utilizaram tag (adesivo eletrônico colado no para-brisas). Entre os que optaram pelo pagamento por meio do aplicativo CSG FreeFlow ou pelo site da concessionária, 38% quitaram via Pix e 10% inseriram créditos antecipados. Apenas 3% pagaram com cartão de crédito e 2,66% usaram os totens disponíveis nas bases de atendimento para o pagamento. O cartão do vale pedágio foi utilizado por 0,34% dos clientes. A maioria dos motoristas (57%) efetuou o pagamento no dia da passagem pelo pórtico.

“É uma medida inovadora para facilitar a vida do motorista, que não vai mais precisar parar em praças de pedágio. Isso evita filas e trânsito pesado e contribui para o meio ambiente. Teremos mais cinco pórticos nas rodovias da Serra Gaúcha e Vale do Caí, previstos para iniciar em fevereiro. O fato de sermos o primeiro Estado nos traz uma responsabilidade em fazer o sistema funcionar bem para os usuários. Vamos acompanhar de perto o trabalho realizado pela concessionária CSG”, afirmou o titular da Secretaria de Parcerias e Concessões (Separ), Pedro Capeluppi. A pasta é responsável por monitorar o novo sistema.

Além da Separ e da concessionária CSG, a operacionalização do free flow conta com diversas frentes e equipes de trabalho do governo do Rio Grande do Sul, como a Secretaria de Logística e Transportes (Selt), o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), o Departamento de Trânsito do Rio Grande do Sul (DetranRS), a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs) e o Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul (Procergs). Essa mobilização permite uma integração entre os sistemas e bases de dados para a identificação e consulta dos veículos.

Como funciona

Os pórticos identificam os veículos no sistema, com dados como placa e eixos rodantes e suspensos, entre outros. O condutor terá várias alternativas para fazer o pagamento da tarifa para a concessionária, desde o meio físico (totens em bases operacionais ao longo das rodovias e locais conveniados) até o digital (aplicativo e site, entre outros). O período para pagamento é de até 15 dias depois que passar pelos equipamentos.

O número da placa e o dia em que o condutor circulou na estrada são as principais informações para efetuar o pagamento. Para os veículos que possuírem tag (adesivo no para-brisa), o pagamento será automático e o usuário não precisará efetuar qualquer ação. Além disso, contará com desconto de 5% para todas as categorias de veículos.

Usuários frequentes também poderão ter descontos progressivos, começando em 5% e podendo chegar a 20%, dependendo da frequência de passagens pelo pórtico.

Bloco 3

O conjunto de estradas concedidas representa 271,5 quilômetros. A concessão de 30 anos prevê investimentos de mais de R$ 4,6 bilhões por parte da concessionária CSG, em obras de duplicação de 67% dos trechos (120 quilômetros); implantação de 59,96 quilômetros de terceiras faixas; ampliação da segurança viária e sinalização; atendimento 24 horas e manutenção; entre outras ações.

O cronograma de obras das rodovias do Bloco 3 prevê a conclusão de 31,62 km de duplicações em trechos da ERS-122 (Caxias do Sul), ERS 240 (Montenegro), ERS 446 (São Vendelino), RSC 453 (Garibaldi, Farroupilha e Bento Gonçalves) até 2025.

Para 2026, estão previstos 23,43 km de duplicações concluídas na BR 470 (Bento Gonçalves) e ERS 122 (São Vendelino e Farroupilha).

Localização dos pórticos

Os pórticos estão sendo posicionadas em quilômetros próximos aos apontados previamente no contrato de concessão do Bloco 3 – onde, originalmente, seriam instaladas praças de pedágio. A quilometragem das rodovias está sujeita a alterações.

  • ERS-122 / km 108 – em 15 de dezembro/2023
  • ERS-122 / km 151 – em fevereiro/2024
  • ERS-446 / km 6 – em fevereiro/2024
  • ERS-122 / km 45 – em fevereiro/2024
  • ERS-240 / km 30 – em fevereiro/2024
  • ERS-122 / km 4 – em fevereiro/2024

Acompanhe
nossas
redes sociais