“Brasil tem ‘bombas’ que precisam ser desativadas”, avalia Airton Artus

OPINIÃO

“Brasil tem ‘bombas’ que precisam ser desativadas”, avalia Airton Artus

Deputado estadual ressalta expectativa positiva com 2024, mas pondera que país precisa fazer ajustes fiscais

Por

“Brasil tem ‘bombas’ que precisam ser desativadas”, avalia Airton Artus
Airton Artus (Foto: Rodrigo Gallas / Arquivo / Grupo A Hora)
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Em comentário na Rádio A Hora, o deputado estadual Airton Artus avalia o início de ano com expectativa ressaltada. Segundo ele, o agronegócio vai bem. O Brasil conseguiu controlar a inflação e os empregos estão estabilizados.

Artus destaca que algumas “bombas” precisam ser desativadas e uma delas é na questão fiscal. “Se o Brasil não fizer um ajuste de contas ele vai ter três saídas. E nenhuma delas é boa. Uma é aumentar o endividamento. A segundo é aumentar a inflação com risco de ter uma deflação. A terceira é o aumento da carga tributária que a gente não sabe como vai ser o resultado dessa reforma. O impacto dela. Pois falava-se em 35% do percentual de impostos e agora já está em 37%.”

Outro assunto citado pelo parlamentar é a previdência no Brasil e no estado. “A previdência no Brasil tem um déficit de R$ 400 bilhões anuais, e no RS, de R$ 15 bilhões.”

Um dos grandes contribuintes para esse déficit, conforme Artus, é o aumento de jovens entre 18 e 30 anos que não trabalham, não estudam e residem com pais ou avós aposentados. “Isso será um impacto grande para a previdência.” Outro detalhe é o aumento das MEIs. “Empresas terceirizando, os serviços para pagar menos previdência, menos impostos e oferecendo aos funcionários a opção de serem MEIs”.

No Brasil, são 100 milhões de trabalhadores, mas somente 37 milhões possuem carteira assinada.

Assista a entrevista na íntegra

 

Acompanhe
nossas
redes sociais