Conclusão de obras e melhoria nas rodovias estão entre as promessas para a região em 2024

ESPECIAL

Conclusão de obras e melhoria nas rodovias estão entre as promessas para a região em 2024

Duplicação da BR, construção de pontes, viadutos e pavimentação de estradas fazem parte das expectativas para o próximo ano

Por

Conclusão de obras e melhoria nas rodovias estão entre as promessas para a região em 2024
Vale do Taquari

Entre obras iniciadas e as que ainda não saíram do papel, a região deve ter avanços na infraestrutura em 2024. Rodovias federais e estaduais passam por duplicações e melhorias, e planos municipais começam a ganhar projeção. O novo ano será composto também por reconstruções.

Na BR-386, o avanço da duplicação interfere no cotidiano de quem enfrenta o trânsito todos os dias, em função do congestionamento. Depois de terem sido paralisadas em abril, as obras no trecho entre Lajeado e Marques de Souza estão perto de serem concluídas. No início de 2023, a CCR ViaSul disse, em nota, que estava revisando os contratos com empresas terceirizadas. Foram 40 dias até a retomada do trabalho.

As enchentes também interferiram nas rodovias da região. Entre os principais estragos, destaca-se a histórica Ponte Brochado da Rocha, que teve parte da estrutura levada pelo Rio Taquari. A estrutura, inaugurada em 1963, tinha 289 metros de extensão e ligava Roca Sales a Muçum. O plano de reconstrução já foi apresentado, e o processo licitatório será aberto nos próximos dias.

NOVA PONTE DE LAJEADO A ARROIO DO MEIO

O que foi feito: O projeto foi apresentado ao governo do RS em outubro. A estrutura será construída ao lado da ponte de ferro, que faz divisa com o Bairro Universitário, em Lajeado, e a Barra do Forqueta, em Arroio do Meio. Já foram feitas avaliações dos danos na encosta da ponte atual e projetados os alicerces da nova estrutura.

O que será feito: O foco é na busca de recursos junto à Defesa Civil Nacional. O projeto prevê um investimento de R$ 11,8 milhões, em parceria entre os municípios e o governo do estado. A obra também envolve a criação de um novo traçado de ruas entre os bairros. A intenção é manter a ligação entre a Senador Alberto Pasqualini e a Marechal Floriano Peix.

VIADUTO DE ERS-130

O que foi feito: No início de dezembro, a Construtora Giovanella ergueu as vigas da trincheira na ERS-130, no bairro Moinhos, em Lajeado. O investimento prevê também as faixas marginais, que estão prontas. O projeto é viabilizado por permuta entre o município e o governo do RS, tendo como contrapartida a sede do Daer.

O que será feito: Agora, está em andamento o trabalho de aterro e asfalto de acesso entre as trincheiras, que deve ser concluído ainda em janeiro, nas primeiras semanas de 2024. A obra estava orçada inicialmente em R$ 11,8 milhões. Os valores foram atualizados devido a alterações no projeto e agora se aproximam dos R$ 13 milhões. Também há planos de estender as faixas adicionais até o entroncamento com a BR-386.

DUPLICAÇÃO DA BR-386

O que foi feito: Em novembro, sete quilômetros no trecho de Marques de Souza foram liberados. Também estão finalizados três acessos, uma nova passarela, um novo retorno (bairro Conventos) e outras cinco novas pontes: km 326,1 (Várzea Marques de Souza I), km 329,7 (Sanga Picada Flor), km 330,2 (Várzea Marques de Souza II), km 331 (Várzea Marques de Souza III) e km 331,4 (Marques de Souza IV).

O que será feito: A CCR ViaSul continua os trabalhos para concluir toda a extensão da primeira etapa de 20,3 quilômetros – faltam 13,3. Entre a Ponte Seca, na entrada de Lajeado, e a sede da Polícia Rodoviária Federal, no bairro Conventos, a expectativa é de conclusão em fevereiro. Também será entregue no próximo ano o trecho entre Estrela e Lajeado. Com frequência, as obras geram lentidão na rodovia.

VRS-811: ARROIO DO MEIO A TRAVESSEIRO

O que foi feito: Aguardada pela comunidade, a obra está em andamento desde 2021. A primeira etapa de um trecho de seis quilômetros foi concluída até o acesso de Travesseiro neste ano. No trecho, o investimento é de mais de R$ 13 milhões. O recurso é um aporte do Governo do Estado por meio do Programa Avançar.

O que será feito: Há duas semanas, o superintendente do Daer, Luciano Faustino, garantiu que a obra está assegurada, e a empresa Conpasul foi determinada a concluir a pavimentação, cerca de dois quilômetros, nas próximas semanas. O acesso deve ser finalizado nas primeiras semanas de 2024.

CONCESSÃO DAS RODOVIAS

O que foi feito: Depois do adiamento do leilão – ainda em 2022 –, por falta de empresas interessadas, o governo do Estado passou o ano de 2023 em um processo de atualização do plano de concessão das rodovias do bloco 2 – que inclui trechos do Vale –. A principal novidade é a extinção das praças físicas de pedágio e adoção do modelo de cobrança por quilômetro rodado, o free flow, após regulamentação federal da tecnologia.

O que será feito: Até o fim do primeiro semestre de 2024, o governo do Estado pretende concluir a atualização do estudo de concessão e apresentá-lo aos líderes regionais, com o novo cálculo da tarifa e os locais indicados para os pórticos de cobrança free flow. Já o leilão das rodovias estaduais deve ocorrer entre o fim do próximo ano e começo de 2025.

DUPLICAÇÃO DA RSC-287

O que foi feito: Com dois anos sob gestão da Rota de Santa Maria, do Grupo Sacyr, a rodovia, que passa pelo Vale, já conta com as novas praças de pedágio previstas no contrato de concessão. Obras pontuais de melhoria no asfalto foram executadas em diversos pontos. Em outubro, foi aprovado o projeto de duplicação do trecho de Tabaí, após a empresa responsável e o Estado aceitarem sugestões vindas da administração municipal

O que será feito: Pelo cronograma aprovado à época da assinatura do contrato, a duplicação já deveria ter começado. Porém, o atraso na emissão das licenças ambientais trava o início. Com o projeto de ampliação dos 8,73 quilômetros, o trecho de Tabaí é o primeiro a ser contemplado. Na sequência, serão duplicados os 29 quilômetros de Venâncio Aires a Santa Cruz do Sul.

PONTE BROCHADO DA ROCHA

O que foi feito: Parte da Ponte Rodoferroviária Brochado da Rocha, que conectava Muçum a Roca Sales pela ERS-129, foi levada pelas águas do Rio Taquari durante a enchente de setembro. O governo federal destinou R$ 9,6 milhões a Muçum para a reconstrução da estrutura. A verba é do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional.

O que será feito: Em outubro, o governo do Estado entregou aos prefeitos de Muçum e Roca Sales o projeto para reconstrução da ponte. O projeto foi montado em parceria com a iniciativa privada. Conforme o município, ainda não há data para o início das obras de reconstrução. Ainda esta semana será publicado o edital do processo licitatório.

Acompanhe
nossas
redes sociais