Negociação entre Sesc e proprietários do Hotel Weiand deve ter resposta até fevereiro

CONTRATO

Negociação entre Sesc e proprietários do Hotel Weiand deve ter resposta até fevereiro

Imóvel localizado na Avenida Sete de Setembro está sem atividades desde julho de 2020. Sesc confirma interesse no local e avalia estrutura

Por

Negociação entre Sesc e proprietários do Hotel Weiand deve ter resposta até fevereiro
Complexo hoteleiro na Avenida Sete de Setembro, em Lajeado, está sem atividades desde julho de 2020. (Foto: Bibiana Faleiro)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

As tratativas para oficializar a compra do antigo Hotel Weiand pelo Sesc continuam. Em entrevista ao programa Frente e Verso, da rádio A Hora 102.9, a gerente do Sesc Lajeado, Betina Durayski diz que a intenção e a vontade da instituição em comprar a estrutura, na Avenida Sete de Setembro, existem, mas ainda está em avaliação.

De acordo com ela, o Sesc fez uma proposta de aquisição do complexo hoteleiro para a Fecomércio, com a ideia de instalar também o Senac no espaço. “Mas não sabemos ainda quais atividades seriam feitas no local. Estamos nesse processo de avaliação da estrutura, para ver como está o imóvel, o que precisa ser feito e o que podemos colocar. São 18 mil metros de área e a estrutura física, tem que planejar”, destaca Betina.

De acordo com ela, a Fecomércio deu um prazo de cinco meses desde a apresentação do projeto, em outubro, para efetivar a negociação. “Acreditamos que até o fim de fevereiro teremos uma posição mais precisa”. O projeto ainda passa por tratativas e algumas travas, como o preço estipulado pelos donos do complexo hoteleiro.

A diferença entre as avaliações orçamentárias seria de aproximadamente 20%. Algo não tão complexo de reajustar, segundo operadores locais que participam das negociações. De acordo com informações extraoficiais, a pedida inicial seria próxima a R$ 25 milhões. O hotel está fechado desde julho de 2020.

Nova sede

A negociação pela compra do hotel se deu após o Sesc Lajeado ser atingido pela enchente de setembro. A estrutura sofreu danos e ficou acordado a procura por um novo móvel. “A entidade ia fazer um investimento ali na Silva Jardim, que ia começar no início de 2024, para ampliar e poder atender da melhor maneira nosso cliente, nossas atividades.

Nos pegou de surpresa”, conta Betina. De acordo com ela, a ideia é que no início do próximo ano as atividades da instituição passem a ocorrer de forma provisória em duas novas salas na esquina da Avenida Alberto Pasqualini com a Rua Duque de Caxias, quase na divisa entre os bairros Americano e Florestal.

O contrato deve ser oficializado nesta semana. No local, será instalada a academia, que possui cerca de 700 frequentadores, o serviço de odontologia, a Maturidade Ativa, o Eja, contraturno escolar, entre outras atividades. O Sesc ainda procura um imóvel nas proximidades, no bairro Americano, para o Sesquinho, que atende 80 crianças da Educação Infantil.

“Vai ficar bacana, em uma área no Centro, estamos com boas expectativas. Infelizmente vamos deixar o centro histórico de Lajeado, que não era a proposta, são 30 anos de unidade. Fica um saudosismo, mas precisamos pensar no futuro”.

Acompanhe
nossas
redes sociais