Executivo de Estrela recebe moradores que reclamam da falta de água

CORSAN

Executivo de Estrela recebe moradores que reclamam da falta de água

Residentes dos bairros Pinheiros e Estados manifestam insatisfação com serviços prestados pela companhia. Governo deve entrar com nova ação judicial

Por

Atualizado terça-feira,
19 de Dezembro de 2023 às 14:50

Executivo de Estrela recebe moradores que reclamam da falta de água
Comitiva dos bairros dos Estados e Pinheiros foi recebida pelo vice-prefeito João Carlos Schäfer (Foto: Rodrigo Angeli/Governo de Estrela).
Estrela

Como tem ocorrido de forma mais constante nas últimas semanas, são muitas as manifestações de moradores de Estrela quanto a falha ou mesmo inexistência – até por dias seguidos – de abastecimento de água em alguns bairros e pontos específicos do município, como interior e regiões mais altas.

Apesar de o serviço ser executado pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), o poder Executivo é procurado com frequência para que intermedeie uma solução. Foi o que ocorreu na manhã desta segunda-feira, 18,, onde uma reunião emergencial atendeu a uma comitiva dos bairros dos Estados e Pinheiros.

O vice-prefeito João Carlos Schäfer recebeu os moradores dos dois bairros, em reunião que não estava programada. A mesma, por sinal, ocorreu poucos minutos depois da realização da reunião do Executivo com a Corsan local, onde o poder público municipal já trazia relatos de moradores, inclusive de outros bairros, como do loteamento Cristo Rei e do Distrito da Delfina, e cobrou medidas por parte da empresa. Apesar das promessas de melhoria, o Governo deve acionar judicialmente a Corsan.

Reunião ocorreu de forma emergencial nesta manhã (Foto: Rodrigo Angeli/Governo de Estrela).

Problemas recorrentes

Segundo os moradores, a falta de água é um problema recorrente nos últimos anos, mas que se tornou mais constante nos últimos meses e se agravou no período de enchente e pós. Segundo relatos, após os pedidos protocolares a empresa sempre justifica os motivos, decorrentes da maior demanda de usuários, enchentes e outros.

Mas segundo os moradores, apesar de se entender que houve um crescimento demográfico acima da média nesses bairros, a empresa também recebe mais para a execução destes serviços, o que não se reflete nos investimentos e serviços entregues. “Investimentos precisam ser feitos. Não se pode olhar para trás para se ter uma justificativa no que deixou de ser feito por anos. Queremos uma solução de olho no hoje e amanhã”, disse um dos moradores.

Moradores reclamam dos constantes períodos sem abastecimento de água e cobram investimentos por parte da estatal (Foto: Rodrigo Angeli/Governo de Estrela).

Outras justificativas

Segundo eles, a escassez de água não pode ser mais justificativa em um ano que o que mais se viu em Estrela foi a ocorrência de chuva. “Entendemos que uma enchente traz problemas para o abastecimento, por isso mesmo quando ficamos seis dias sem água no período da enchente, fomos resilientes. Mas à medida que isso se torna uma constante, como de novo nesta semana, uma enchente não pode mais ser usada como justificativa e aí não há como exigir paciência”, diz um dos membros da comitiva. A falta de fornecimento de energia elétrica e a consequência disso no abastecimento foi levantada, apesar de não servir de prerrogativa segundo os moradores.

Outro comenta. “Não é o fato de um morador estar usando água para lavar o carro que deve ser o motivo de na minha casa não ser abastecida. Se ele paga por esse serviço ele tem direito. Não deve ele ser prejudicado por um problema que me atinge, e sim porque é mal executado por quem recebe para isso”. O tema pagamento trouxe outro alerta dos moradores, de que os valores das suas faturas vieram bem maiores mesmo quando não o utilizaram, como foi no caso de setembro, com dias seguidos de abastecimento.

Ações

O vice-prefeito João Carlos Schäfer disse entender a insatisfação dos moradores. “Tanto que estamos há muito tempo acionando a empresa e exigindo melhorias. Como o diálogo não tem sido o suficiente, o prefeito Elmar Schneider já solicitou à Procuradoria do município que acione judicialmente a empresa para imediata solução”, afirma.

Acompanhe
nossas
redes sociais