Governo federal aprova recurso para construção de 592 moradias

política e cidadania

Governo federal aprova recurso para construção de 592 moradias

Lajeado abre chamamento de empresas para a construção das residências pelos programas Minha Casa Minha Vida e Calamidade. Município também encaminha projeto para a retirada de famílias de áreas alagáveis

Por

Governo federal aprova recurso para construção de 592 moradias
Valores também foram aprovados para outras cidades da região. (Foto: Arquivo A Hora)
Vale do Taquari

Lajeado tem recursos aprovados pelo governo federal para a construção de 300 casas populares. Pelo programa Minha Casa Minha Vida, são 150 residências, e outras 150 pelo Minha Casa Minha Vida Calamidade. Município encaminha chamamento de empresas interessadas em fazer a construção das residências nas próximas semanas.

O processo é feito por meio da Caixa Econômica Federal. As empresas contempladas devem estar cadastradas na Caixa. Em entrevista ao programa Frente e Verso, da rádio A Hora 102.9, o prefeito Marcelo Caumo destaca que a obra e o projeto arquitetônico serão de responsabilidade da empresa contratada. Por outro lado, o município garante áreas adequadas para a construção.

São 10 áreas em diferentes bairros da cidade, já definidas e aprovadas pela Caixa. Conforme o andamento dos projetos, o governo também fará abertura de ruas e outras obras de infraestrutura. “São dois processos que devem andar rápido. Esses dois projetos recebem verbas do Ministério das Cidades”, destaca Caumo.

Os 300 imóveis serão construídos em formato de loteamento, em residências. O projeto regular do Minha Casa Minha Vida será implantado em três terrenos no Bairro Igrejinha e em dois terrenos no Santo Antônio. O Calamidade, para atingidos pelas enchentes, será distribuído em oito terrenos localizados nos bairros Conventos (2), Jardim do Cedro (1), Morro 25 (2) e Conservas (3).

O prefeito ainda destaca outro projeto encaminhado para a Defesa Civil Nacional, que incentiva a retirada de famílias das áreas alagáveis do município, para a ampliação de parques e praças. “Nós temos muito claro que o problema não se resolve de uma vez só, e é importante fazer pequenas e permanentes intervenções”, reforça.

Entre as áreas já definidas para a desapropriação, estão os fundos do Campo São José, no Centro, com a possibilidade de ampliar o campo e o Parque dos Dick. “Hoje, na cota de 20 metros, as primeiras casas já começam a ser atingidas em Lajeado”, justifica Caumo.

Empresas da cidade

Outro ponto destacado pelo prefeito é a situação das empresas. Caumo celebra a permanência da Lajeadense Vidros no município, em uma nova área estratégica no bairro Conventos.

Além disso, o governo também trabalha em negociações com a Vinagres Prinz, empresa aberta há quase 100 anos na cidade. “Estamos em conversas adiantadas para a definição de uma nova sede administrativa. A Minuano é outra empresa que estamos em tratativas”.

Caumo ainda diz que o governo está disposto a auxiliar as empresas e deve encaminhar nesta semana, um projeto para que o município preste auxílio de alguma maneira no recomeço das instituições. Um exemplo é a isenção do IPTU, isenção da taxa de projeto e de licença ambiental, para quem trocar a área de um imóvel.

Residências definitivas

Recursos aprovados pelo governo federal
Lajeado – 300 residências
Encantado – 180 residências
Venâncio Aires – 112 residências

Em processo de análise
Roca Sales – 150 residências
Cruzeiro do Sul – 100 residências
Colinas – 31 residências
Bom Retiro do Sul – 15 residências

 

Acompanhe
nossas
redes sociais