Redações de 576 alunos estimulam reflexão sobre paz em Lajeado

LITERATURA

Redações de 576 alunos estimulam reflexão sobre paz em Lajeado

Concurso do programa Pacto Pela Paz tinha o tema “A paz na minha escola e na comunidade”. Desses, cinco produções foram selecionadas como vencedoras por uma comissão composta por jornalistas e professores. Confira os melhores trabalhos

Por

Atualizado terça-feira,
05 de Dezembro de 2023 às 10:15

Redações de 576 alunos estimulam reflexão sobre paz em Lajeado
Vencedores do concurso de redação visitaram o Grupo A Hora e, na ocasião, deram entrevista na rádio, receberam certificado e participaram de momentos de troca sobre a atividade. (Foto: Felipe Neitzke)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Os últimos três meses foram marcados por dedicação nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEF) de Lajeado. Lançado no final de setembro, o concurso de redação do Pacto Lajeado Pela Paz movimentou os alunos do 4º ao 9º das instituições. As produções falavam sobre o tema “A paz na minha escola e na comunidade”.

Ao todo, 576 textos foram entregues. Desses, cinco vencedores foram selecionados. Na última sexta-feira, 1, quatro, dos cinco ganhadores visitaram a sede do Grupo A Hora, em Lajeado, para um momento de conversa, entrevista e entrega de certificados. Na ocasião, os participantes reforçaram que o concurso foi uma oportunidade de reflexão sobre paz e atitudes não violentas.

A escolha do assunto foi ao encontro de diversos programas, também do Pacto, desenvolvidos nas escolas da rede municipal. Esses trabalham questões socioemocionais e de desenvolvimento pessoal. O objetivo geral da atividade era desenvolver o pensamento, pesquisa, criatividade, originalidade e raciocínio dos estudantes.

O resultado foi divulgado no dia 22 de novembro, em um evento das escolas da rede municipal. A avaliação foi feita por uma Comissão Julgadora composta por professores e jornalistas. Os critérios analisados foram adequação do tema e do texto ao título, originalidade e relevância. Os textos deveriam ter, no máximo, 30 linhas, podendo ser dissertativo, narrativo, descritivo ou poético.

Além do município

Além do forte relacionamento com as escolas, o Pacto tem recebido reconhecimento fora da região e, ainda, fora do estado. Na última semana, o programa, destacado como exemplo de melhores práticas no setor, foi apresentado em um workshop em Vitória, no Espírito Santo.

No evento, o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, e o secretário de Segurança Pública, Paulo Roberto Locatelli mediaram um painel sobre o Pacto Lajeado Pela Paz, os efeitos na redução da violência no município e os eixos de prevenção e aplicação da lei.

O evento buscou compartilhar informações e capacitar gestores públicos. “Procuramos transformar a abordagem da violência em nossa cidade, focando em duas diretrizes fundamentais: prevenção e aplicação da lei. Na prevenção, a educação é o pilar central, ensinando às crianças a comunicação não violenta, o respeito às opiniões e o cultivo da habilidade de ouvir.”, destacou o Caumo.

Locatelli, durante a apresentação, deu ênfase ao eixo de aplicação da lei. “Destacamos a atuação integrada dos órgãos de segurança pública com a sociedade civil para alcançar uma segurança mais efetiva. Desde a implementação do Pacto, nossa abordagem é baseada em evidências, buscando boas práticas globais para soluções eficientes”.

Dia da paz

Previamente agendado para o dia 21 de setembro, as programações tiveram que ser alteradas por conta da cheia que atingiu a cidade no mesmo mês. Um dos convidados para o momento era Fernando Belatto, criador do método O Despertar do Guerreiro Interno, que realizou a palestra na última quarta-feira, 29.

Outro convidado era o idealizador do Congresso Internacional da Felicidade, Gustavo Arns. Agora, a fala do palestrante, que traz o painel “Ciência da Felicidade e a Relação com a Paz” está programada para hoje, 5. O evento inicia às 8h30min, no Auditório da Sicredi Integração, é aberto para a comunidade mediante inscrição.

Além do momento ministrado por Arns, haverá o painel “Quatro Anos do Pacto Lajeado pela Paz: Conquistas, Desafios e Perspectivas para uma Cultura de Paz na Cidade e Região”. Este realizado pelos coordenadores dos eixos da Aplicação da Lei, Paulo Roberto Locatelli Gandin, e da Prevenção da Violência, Tânia Fröhlich Rodrigues.

A paz na minha comunidade

“No meu bairro tem muita briga, as pessoas ficam se xingando e se batendo. Essas atitudes causam medo nas crianças.
É preciso mais respeito uns com os outros, mais paciência e calma. Precisamos cuidar mais do nosso bairro, do nosso espaço.
Precisamos pensar mais no próximo e nos colocarmos no lugar do outro. Assim, talvez, conseguimos entender as atitudes de cada um.
Sonho com um bairro mais tranquilo, sem precisar ter medo de sair na rua, onde as crianças possam brincar, se divertir e serem mais felizes” – Raphael dos Santos Rodrigues – 4º ano EMEF Oscar Koefender

A paz na EMEF Pedro Welter

“Na minha escola, EMEF Pedro Welter, que eu escolhi estudar, tenho as melhores professoras que zelam pela paz entre os alunos, que são orientados a cuidarem uns dos outros.
A paz é a base de um ambiente saudável para o aprendizado. Devemos colaborar, respeitando sempre todos os colegas que convivem na escola.
A empatia e o respeito por todos devem fazer parte dos nossos dias. Comprometimento também é importante, alunos focados nos estudos pensam melhor, se comunicam melhor sendo fundamental para o crescimento pessoal de cada um de nós.
Na Pedro Welter, a paz diária nos deixa tranquilos e equilibrados. O diálogo que temos é fundamental para manter os alunos engajados sempre respeitando as regras da escola.” – Luiza Mallmann – 4º ano EMEF Pedro Welter

A paz é o nosso eterno anseio

“Nossa escola é
Um refúgio de harmonia
Onde a paz reina
Sem melancolia

Cada livro é uma porta
Para o saber
Na escola
Juntos podemos crescer

Professores inspiram
Com dedicação
Alunos aprendem
Com gratidão

Nas carteiras
Sonhos ganham asas
Na nossa escola
A paz é a nossa casa

No pátio,
Risos ecoam no ar
Amizade, respeito e compreensão
Nunca vão faltar

Assim, na sala de aula
Ou no recreio
A paz é o nosso eterno anseio” – Wesley Souza de Oliveira – 9° ano EMEF São João

A paz na minha comunidade

“Na minha comunidade, a paz reflete no cuidado e amor pelas pessoas, é honrando o patrimônio público, é evitando a negatividade pelos outros, sendo feliz e não ser egoísta.
O melhor lugar no mundo pode ser qualquer lugar, mas tendo uma coisa: a “Paz”.
A paz é a melhor coisa que podemos ter. Quando “Deus” nos criou, criou a gente para termos paz e para trazermos a “Paz” aos nossos irmãos. E é nosso dever juntarmos nossas forças e promover a paz evitando brigas, xingamentos e conflitos.
A paz é como uma flor, quanto mais cuidarmos, mais ela vai florir e brotar. Então vamos começar trocando o sofrimento e tristeza pela falta de paz, por atitudes que promovam a paz entre as pessoas. Nós somos fortes e não podemos desistir de sermos felizes!
Então, para mim a paz é isso: Ter a consciência tranquila por estarmos fazendo o certo, não prejudicando os outros.
Essa tarefa não é fácil. E com pequenas mudanças no nosso dia a dia, com um olhar acolhedor e sem julgamentos é que estamos promovendo a paz por onde estivermos. Comece por você!” – Bruna da Silva Moesch – 5º ano EMEF Vitus André Mörchbächer

A Paz nas Escolas

“A escola é um ambiente de aprendizado, socialização e desenvolvimento. Mas, para que isso aconteça, é preciso que a paz esteja presente em todas as suas instâncias. A paz na escola é fundamental para que nós estudantes possamos aprender, crescer e nos desenvolver em um ambiente saudável e seguro.
A paz na escola começa com a construção de um ambiente acolhedor e respeitoso, onde todos são tratados com igualdade e dignidade. É preciso que haja diálogo e cooperação entre os alunos, professores, funcionários e pais, para que juntos construam um ambiente de harmonia e tolerância.
A educação para a paz deve fazer parte do histórico escolar. É importante que os estudantes aprendam sobre a importância da resolução de conflitos, do diálogo, da empatia e do respeito às diferenças. Dessa forma, a escola não apenas prepara os alunos para a vida acadêmica, mas também para a vida no convívio em sociedade.
Para que a paz na escola seja mantida é importante que haja valorização de medidas preventivas contra a violência e o bullying, além de incentivar também a denúncia de casos de violência e a busca por ajuda.
Em resumo, a paz na escola é fundamental para um ambiente de aprendizado saudável e seguro. Para alcançá-la, é preciso construir um ambiente de harmonia , promover a educação para paz, criar políticas de prevenção e combate ao bullying e promover atividades que incentivem a cooperação e a integração entre os alunos. Com essas medidas, a escola pode ser um lugar de desenvolvimento humano, social e acadêmico.
Eu posso dizer que nessa “matéria”, minha escola, na qual eu me criei, gabarita o assunto.” – Lana Manoela Weber da Silva – 9º ano EMEF Nova Viena

Acompanhe
nossas
redes sociais