Chegada do calor e excesso de chuva reforçam os cuidados com a dengue

VALE DO TAQUARI

Chegada do calor e excesso de chuva reforçam os cuidados com a dengue

Vigilância Epidemiológica prevê um aumento no número de casos da doença no próximo ano. Em março, Encantado foi o epicentro dos casos de dengue no Rio Grande do Sul

Por

Atualizado sábado,
02 de Dezembro de 2023 às 12:16

Chegada do calor e excesso de chuva reforçam os cuidados com a dengue
Em Encantado, agentes epidemiológicos fazem visitas domiciliares para orientação e supervisão a doença. (Foto: divulgação)
Vale do Taquari

Uma das cidades mais infectadas pelo mosquito Aedes aegypti em 2023, Estrela prevê uma situação semelhante no próximo ano e alerta a população sobre a possibilidade de mais um surto de dengue. Com mais de 900 casos notificados desde janeiro, o município é o sétimo no ranking estadual a registrar situações confirmadas da doença. O período de chuva nos próximos meses também é um desafio a ser enfrentado pela vigilância epidemiológica.

Os resultados do Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti (LIRAa) feito durante o mês de outubro ainda não foram disponibilizados. No entanto, a coordenadora Carmen Hentschke destaca que a infestação deve ser maior do que a registrada em agosto, quando os indicativos chegaram a 8,2. Segundo ela, grande parte dos focos de criadouro dos mosquitos está nas residências.

“Foram colhidas mais amostras com larvas do que no último levantamento. Isso é um alerta de que essa situação deve piorar. Os indicativos apontam que acima de 3,9 é infestação grave, portanto, Estrela está em uma situação muito preocupante. Das amostras colhidas, 571 foram em casas e 51 em terrenos baldios”, ressalta Carmen.

Durante o ano todo

A Secretária de Saúde de Encantado, Karoline Crippa, afirma que as ações de proteção ocorrem durante todo o ano no município, que chegou a ser o epicentro da doença no estado. Em março, 58% dos casos do RS estavam na cidade.

“No decorrer deste ano, realizamos a contratação de agentes de endemias para cobertura completa do município. Os agentes fazem visitas domiciliares para orientação e supervisão, e a cada 15 dias inspecionam os pontos estratégicos, como cemitérios, borracharias e ferros velhos. Neste ponto, o inseticida é aplicado a cada 60 dias”, conta Karoline.

Nos últimos dias, o governo fez a instalação de ovitrampas, um sistema para controle de ovos do Aedes. “. O combate à dengue é um trabalho de todos nós”.

Em Lajeado

A preocupação se estende a Lajeado. A coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, Juliana Demarchi, conta que, com a chegada do verão, os agentes de endemia intensificam as visitas às casas e as ações de combate à proliferação do mosquito.

“Desde outubro, tivemos 43 casos suspeitos de dengue, destes 26 já foram descartados. Um dos casos confirmados não foi contaminado aqui. Outros 16 casos estão aguardando confirmação do exame ou o período ideal para fazer a coleta”, conta. Contra a dengue, não existe vacina aprovada para uso na saúde pública no Brasil.

Acompanhe
nossas
redes sociais