Vereadores aprovam criação de 164 vagas para educação de Lajeado

CÂMARA

Vereadores aprovam criação de 164 vagas para educação de Lajeado

Medida visa ano letivo de 2024. Legislativo deu sinal positivo ainda para contratação de 16 agentes de saúde

Por

Atualizado terça-feira,
28 de Novembro de 2023 às 21:18

Vereadores aprovam criação de 164 vagas para educação de Lajeado
Foto: Henrique Pedersini
Lajeado

A Câmara de Lajeado autorizou a abertura de 164 postos de trabalho para diferentes setores da educação do município. Na sessão desta terça-feira, 28, avançaram dois projetos que não integravam a pauta e foram liberados por acordo dos líderes das bancadas.

O Executivo está liberado para nomear 86 monitores de creche, oito agentes socioeducativos e dois secretários de escola pata educação infantil, fundamental e Projetos Vida. Sinal positivo também para chamamento de 68 professores voltados aos anos iniciais e finais do ensino fundamental.

O pedido para ampliar o quadro de profissionais nas escolas visa o ano letivo de 2024. Conforme as justificativas dos dois projetos, a rede municipal atende 10.588 estudantes e serão abertas novas turmas além da demanda na EMEI Saber, Educar e e Respeitar (SER) no bairro Santo Antônio, em função do término de um projeto piloto da Univates. A partir do próximo ano os profissionais são de responsabilidade do município. As nomeações ocorrem com base nos concursos públicos vigentes.

Foto: Henrique Pedersini

Reforço para agentes de saúde

Outro projeto aprovado permite a contratação de 16 agentes comunitárias de saúde para dar suporte ao quadro atual de 59 profissionais. Com aceitação unânime, a proposta rendeu manifestações de vereadores, que atribuíram a medida do Governo à chegada do coordenador dos postos de saúde e UPA, Celso Kaplan (Lelo). “Bairros não tinham sequer um agentes de saúde, agora vão ter”, comemorou Lorival Silveira (PP). Já Jones Vavá (MDB) lembrou que o pedido para reforçar o quadro de servidores nesta área ocorre há três anos. “Coordenador fez mais em duas semanas do que o secretário em três anos”, pontuou. Os vereadores aprovaram também a contratação temporária de arquiteto, engenheiro elétrico e farmacêutico.

Também foi autorizada cedência de área no bairro Igrejinha para o projeto Guarani Mirim, no bairro Igrejinha. A atividade atende crianças e adolescentes com práticas esportivas. A Câmara liberou o município para aceitar um terreno no bairro Bom Pastor, avaliados em R$ 55 mil como forma de pagamento por dívida com IPTU pelo proprietário.

Havia expectativa pela votação da matéria que prevê compensação para donos de terrenos afetados pelo alargamento de ruas e avenidas de Lajeado. Entretanto, o Governo encaminhou ofício que retirou o regime de urgência do texto, o que permitiu que a análise fosse adiada sem “trancar a pauta” da sessão.

Incentivo para empresas

Alguns vereadores repercutiram uma reunião desta terça-feira, 28, no gabinete do prefeito Marcelo Caumo. Entre os temas, o auxílio para empresas de Lajeado afetadas pela enchente. Isidoro Fornari Neto e Mozart Lopes, ambos do PP, enfatizaram o compromisso do Governo com a causa. “Certamente seremos parceiros de uma iniciativa para que não percamos empresas, empregos que aqui estão para outros lugares. Vamos manter as empresas com investimento feito para realocá-las em espaço mais seguro”, afirma Fornari.

A proposta de aumento do ICMS pelo Governo do Estado e o veto a desoneração da folha pelo presidente Lula geraram críticas do Legislativo por Heitor Hoppe (PP) e Mozart. Lorival Silveira criticou mais uma vez o projeto da Guarda Armada Municipal e pediu que o foco seja em outras secretarias com maior necessidade de investimentos.

Márcio Dal Cin (PSDB) pediu investimentos em acessibilidade e criticou a presidente Paula Thomas (PSDB), Deoli Gräff (PP) e o prefeito pelas condições ruins das vias que, segundo ele, fizeram com que uma jovem cadeirante sofresse queda nos últimos dias. Marquinhos Scheffer, Waldir Blau, Vavá, todos do MDB, voltaram a cobrar investimentos na área de saúde. Patrícia Rambo (MDB) criticou a terceirização de cargos na educação. Eder Spohr (MDB) pediu providências para o departamento de Trânsito e citou a morte de um homem na rua Carlos Spohr Filho, no bairro São Bento.

Acompanhe
nossas
redes sociais