UTI Pediátrica de Lajeado comemora um ano de atendimentos

LAJEADO

UTI Pediátrica de Lajeado comemora um ano de atendimentos

Unidade atendeu cerca de 262 pacientes ao longo do ano. Com tecnologia de ponta e um atendimento intensivo, espaço tem importância consolidada no cuidado de crianças do município e estado

Por

UTI Pediátrica de Lajeado comemora um ano de atendimentos
Responsável técnica pela UTI Pediátrica, Kailene Spessato, comenta sobre importância da unidade para cuidado com as crianças (Foto: Felipe Neitzke)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Dia 13 de julho é comemorado o aniversário de um ano da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica de Lajeado. Durante esse período foi registrada a passagem de 262 pacientes do município e do estado. Com sua importância consolidada, no momento busca por auxílio de profissionais.

Para falar sobre a trajetória do centro de atendimentos, a médica intensivista e responsável técnica pela UTI Pediátrica, Kailene Spessato, participou, na quinta-feira, 15, de “Nossos Filhos”, programa multiplataforma do Grupo A Hora. Na ocasião, a profissional detalhou sobre o empenho da equipe nesta temporada de inverno.

Para a médica, a UTI pediátrica é uma conquista. Após um período sem funcionamento, com auxílio do Hospital Bruno Born (HBB) pôde voltar a atuar no último ano. Desde a reabertura conta com 100% da ocupação dos dez leitos. Desses, 80% são ocupados por pacientes do SUS custeados pela instituição.

Além da equipe médica, o serviço conta com assistentes sociais e psicólogos para a realização do atendimento. A aquisição de equipamentos de ponta também é destaque no ambiente. Entretanto, o desfalque de funcionários vem preocupando a diretoria do local.

Kailene explica que para que o tratamento multiprofissional seja possível, uma gama de profissionais é necessária. “Conforme a chegada da onda de doenças infecciosas percebemos uma demanda crescente por atendimento, e consequentemente por atendentes”, ressalta.

Para a profissional, é muito importante que a comunidade esteja mobilizada com essas causas. Com o apoio social e financeiro pode-se pensar em maneiras mais práticas de aumentar o número de funcionários. “Não podemos nem pensar no fechamento dos 10 leitos no momento. Seria um impacto muito grande e negativo na região”, acrescenta.

Foco na vacinação

Doenças de inverno começaram a atingir as crianças mais cedo neste ano. A profissional aponta que a UTI é ocupada, em sua maioria, por doenças respiratórias em casos graves, como bronquiolite e influenza. “Sem o espaço seria muito complicado estabilizar a situação dos pequenos”, pontua.

Entre as medidas de prevenção, a vacinação se destaca. A médica explica que mesmo com a campanha de vacinação, muitas famílias ainda seguem sem vacinar seus filhos. “Iniciamos a vacinar em abril, mas a cobertura vacinal continua com porcentagem baixa”, afirma.

Como forma de aumentar a proteção, a profissional ressalta a importância de evitar expor o indivíduo a situações de risco sem necessidade. Kailene finaliza frisando que por mais que se tomem medidas profiláticas, a vacinação ainda é a melhor escolha para o bem das crianças.

Bronquiolite

Infecção causada por vírus nos bronquíolos dos bebês e tem como sintomas respiração rápida, com exalações forçadas e longas.

SINTOMAS
– Respiração rápida com exalações forçadas e longas;
– Febre frequente;
– Chiado no peito;
– Tosse.

RECOMENDAÇÕES
– Evitar presença de fumantes perto da criança;
– Fazer com que o bebê repouse e tome bastante líquido;
– Vaporizações podem aliviar os sintomas;
– Acompanhamento médico indispensável num caso de bronquiolite;
Importante: cerca de metade dos bebês que contraem bronquiolite desenvolvem asma na infância.

Acompanhe
nossas
redes sociais