Rampas fora dos padrões serão refeitas em Lajeado

FALTA DE ACESSIBILIDADE

Rampas fora dos padrões serão refeitas em Lajeado

Empresa responsável pela construção deve retomar trabalhos nos próximos dias. Obras estão paralisadas desde o fim do ano passado, após o apontamento de irregularidades

Por

Rampas fora dos padrões serão refeitas em Lajeado
Rampa na esquina da Benjamin Constant com a travessa Cristiano Schmidt é uma das que serão refeitas. Crédito: Mateus Souza
Lajeado

Paralisada desde dezembro do ano passado após a verificação de irregularidades, a construção das rampas de acessibilidade nas ruas de Lajeado serão retomadas nos próximos dias. A empresa responsável pelos trabalhos terá que refazer alguns trechos constatados como fora dos padrões estabelecidos pelo Executivo.

Detalhes para o reinício das obras foram acertados na reunião da comissão temporária de mobilidade e acessibilidade da câmara de vereadores na manhã dessa quinta-feira, 6, na sede do Legislativo. Designado para fiscalizar o contrato, o engenheiro do município, Jackson Waechter também participou do encontro.

Conforme o vereador Carlos Ranzi (MDB), que preside a comissão, desde o ano passado são apontadas falhas na execução das rampas por parte do Legislativo. “O que vai se ver na cidade agora é um retrabalho em cima de muitas rampas já feitas. Queremos que o serviço seja bem feito, pois precisamos preparar a cidade para o futuro”, afirma.

Quatro padrões de rampas foram estabelecidas pelo município para a implementação nas ruas. Porém, conforme chegava em cada realidade, Ranzi comenta que a empresa responsável aplicava “a que achava mais conivente”. Apesar disso, entende que a extensão do prazo não é um problema. “Nós nunca nos preocupamos com o tempo de execução, e sim com a qualidade do trabalho”.

Mais de R$ 200 mil

A execução das rampas nas ruas de Lajeado foi viabilizada com recursos de emenda parlamentar. Conforme apurado pela reportagem, dos R$ 227 mil previstos, cerca de R$ 150 mil foram utilizados. “Mas o proprietário da empresa assumiu a responsabilidade pelo retrabalho, então não haverá aumento de custos”, frisa Ranzi.

Ao todo, o projeto prevê a construção de 400 rampas de acessibilidade no município, no Centro e também nos bairros. Segundo Jackson, assim que as estruturas consideradas fora dos padrões forem refeitas, serão executadas as restantes. O prazo para execução dos trabalhos já havia sido ampliado ano passado.

Acompanhe
nossas
redes sociais