Gastrô

Sabor com praticidade

Professora ensina como preparar refeições funcionais para uma rotina agitada

Por

Sabor com praticidade

Cozinhar, seja em casa ou de forma profissional, requer organização e planejamento, ainda mais quando a rotina é agitada e o tempo para produzir ou degustar uma refeição é reduzido.

Para ajudar quem vive na correria, a professora de gastronomia da Univates e mestra em Nutrição e Alimentos, Deise Sterque da Silva, ensina algumas dicas que podem facilitar o dia a dia.

Um dos segredos é ter sempre em casa alimentos considerados coringas, aqueles versáteis e de fácil preparo, explica. Na geladeira da chef estão sempre presentes as conservas como cebola, rabanete ou pepino, assim como azeitonas, queijos e ovos, que ajudam a preparar alimentos práticos e saudáveis.

Na despensa, não podem faltar itens como azeite de oliva, sardinhas em lata, oleaginosas e tomate. Manter carnes e molhos separados e organizados em porções individuais também garante mais praticidade.

Deise conta que costuma ir à feira toda a semana para repor legumes e verduras, e higieniza todos os alimentos comprados de uma vez, antes de armazená-los. “Com este repertório, em poucos minutos consigo montar um prato saudável, bonito, sem cair na mesmice e mais acessível”.

Outra dica da professora para os dias mais corridos é utilizar o forno. Assim, é possível trabalhar ou fazer outra atividade enquanto a comida é preparada. “O forno não exige o olhar constante de um grelhado, por exemplo. Uma boa opção para preparar no forno são as omeletes, que são práticas, versáteis e saudáveis”.

 

Paixão da cozinha à sala de aula

Deise recorda que, quando criança, a maior parte das brincadeiras eram na cozinha. “Minha mãe percebia o quanto isso me atraia e mantinha o caminho livre. Aos oito anos, fiz meu primeiro bolo e então não parei mais”.

Cozinhar se transformou em um hobby e, como na época, não haviam cursos de gastronomia, Deise optou por cursar Administração, no intuito de abrir um restaurante. Depois de formada, decidiu se aventurar no exterior, onde teve o primeiro contato com a cozinha profissional. Passou dois anos na Europa e voltou ao Brasil para se profissionalizar.
Atuou em restaurantes no país inteiro e viveu diversas experiências com a culinária, desde produzir programas de gastronomia para a televisão, até trabalhar no Maracanã, durante a Copa do Mundo.

Porém, foi na última experiência que teve como chef que encontrou o amor pela sala de aula. Além de ser responsável pela cozinha, ministrava aulas para pequenos grupos. “Isso trouxe um frescor que renovou minha rotina e redirecionou meu amor pela gastronomia. Decidi voltar a estudar para lecionar. Amo ser professora e sou muito grata por participar da formação e desenvolvimento de cada turma”.

galeria