Desemprego aumenta 20% em relação a 2010

Notícia

Desemprego aumenta 20% em relação a 2010

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

A unidade da Funda­ção Gaúcha do Tra­balho e Ação Social / Sistema Nacional de Emprego (FGTAS/Sine), situ­ada no município, encaminha todos os meses uma média de 180 seguros-desemprego. O nú­mero aumentou 20% em rela­ção a 2010, o que representa um acréscimo de 36 pessoas na espera por um emprego em 2011.

Conforme o coordenador da unidade Cristian Nichel, a falta de qualificação e baixos salários oferecidos são as prin­cipais causas. Dos 60 cadas­tros de pessoas na espera por uma vaga no mercado, 50% não apresentam a conclusão do Ensino Médio, que é um dos requisitos básicos solicitados pelas empresas. “Destes 50%, mais da metade tem menos de 22 anos, mostrando que falta experiência para suprir as va­gas oferecidas.”

empAs vagas mais procuradas pelo público feminino são no setor de secretariado, e no masculino, de motorista. Am­bos apresentam bastante pro­cura pelo comércio, segundo Nichel. O maior número de vagas oferecidas pelo mercado é de serviço pesado, como em fábricas de embutidos e cons­trução civil.

Mesmo com o aumento de desempregos, a média de pes­soas empregadas pela unidade se manteve a mesma de 2010, sendo 40 vagas mensais. Aten­dendo a todos os municípios da região alta do Vale, como Relvado, Anta Gorda, Ilópolis e Putinga, exceto Arvorezinha, Nichel diz que 30% da procu­ra por empregos na região é oriunda de pessoas de fora, a maioria vinda da fronteira do estado. Ele explica o fato pelo aumento de indústrias e opor­tunidades na região.

Confira as vagas de emprego no FGTAS/SINE

Femininas:

– serviços gerais em fábrica de calçados

– doméstica

– casal para trabalhar em granja

Masculinas:

– frentista

– técnico em refrigeração

– engenheiro em Seguran­ça do Trabalho

– serviços gerais em fábrica de calçados

– auxiliar técnico em produ­ção de calçados

– açougueiro

Contato: (51) 3571-2847

Rua Duque de Caxias, nº 991, Centro, Encantado

Atendimento ao público: segunda à sexta-feira, das 7h às 12h.

O drama de quem vive o desemprego

Jorge Abrelino Duarte, 53, está desempregado há cinco anos. Ele mora com a mulher e duas entea­das no bairro Lago Azul, onde re­side há 23 anos. Com estudo até a 5ª série, sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e problemas de saúde, fica cada vez mais difícil encontrar uma vaga de emprego ao passar dos meses.

Natural de Encantado, aos 14 anos ele teve sua primeira experiência de trabalho num restaurante no Rio de Janeiro, onde ficou por dois anos. Depois se mudou para Caxias do Sul e, com alguns cursos de pintura e soldagem, conseguiu emprego numa metalúrgica, onde traba­lhou por 18 anos antes de voltar para Encantado.

Com dificuldades para pagar o aluguel, manter a alimentação e auxílio no estudo das enteadas, Duarte continua procurando por um espaço no mercado de trabalho. “Estou correndo pra cá e pra lá e não estou conseguindo nada. Está feia a situação.”

Devido a problemas de saúde e tendo passado por uma cirur­gia de coração há três meses, ele tem proibições médicas de realizar trabalhos que exijam esforços físicos. O que lhe resta é procurar por um emprego mais leve, como nos setores de mon­tagem, em que é exigido menos esforço físico.

“De 180 desempregados men­sais, metade destes é resultado de acordos entre empresas e fun­cionários”

Segundo o secretário de De­senvolvimento do município, Roberto Antônio Turatti, o au­mento do desemprego ocorre devido à falta de qualificação e experiência profissionais. Neste ano, foram gerados 300 novos empregos no município, afirma Turatti. “De 180 desempregados mensais, metade destes é resul­tado de acordos entre empresas e funcionários.”

Para solucionar o problema de desemprego, o município prevê ações como o convênio entre a Associação Comercial e Indus­trial de Encantado (Aci-e), Câma­ra de Dirigentes Lojistas (CDL) e Univates para a realização do projeto Jovem Aprendiz, previsto para setembro deste ano.

Ele cita a pesquisa para im­plantação de cursos de qualifi­cação realizada pelo Conselho de Pró-Desenvolvimento de En­cantado (CEPD) com as empre­sas como outra medida para a verificação das necessidades do mercado de trabalho.

Na busca pela qualificação profissional serão realizados cursos de desenvolvimento ru­ral, administração, gestão visu­al de lojas, técnico em vendas, palestras e seminários neste semestre. Para isto novos valo­res devem ser incluídos no orça­mento de 2012.

Acompanhe
nossas
redes sociais