Mobilização agora é por estiva sobre o Rio Forqueta

BUSCA POR ALTERNATIVAS

Mobilização agora é por estiva sobre o Rio Forqueta

Estrutura permitira a passagem de caminhões, que não podem cruzar a Ponte de Ferro devido às restrições de tráfego. Iniciativa privada quer novamente encampar luta, com apoio das prefeituras

Por

Mobilização agora é por estiva sobre o Rio Forqueta
Ideia é que estrutura de concreto seja feita ao lado da histórica travessia entre as duas cidades. (Foto: Bianca Mallmann)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Depois da conclusão e abertura da Ponte de Ferro para o trânsito de veículos leves, um movimento capitaneado pela iniciativa privada busca, agora, viabilizar uma passagem de caminhões sobre o Rio Forqueta entre Lajeado e Arroio do Meio. A obra projetada é em formato de estiva e seria a forma mais viável e rápida de viabilizar a travessia.

A ideia foi apresentada na última sexta-feira, 7, pelo empresário Roberto Lucchese, da Lyall Construtora e Incorporadora, a representantes do governo de Lajeado, durante acompanhamento da obra às margens do rio. A construção da estrutura, no entanto, dependeria de um aval da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. As tratativas estão em andamento.

Um custo inicial, estimado pela Lyall, aponta que seriam necessários R$ 2 milhões para erguer a estiva e a obra levaria menos de 30 dias para ser concluída. Para isso, seria aproveitado o aterro feito dentro do Rio Forqueta para a manobra dos guinchos que ergueram o novo vão da Ponte de Ferro na sexta-feira, 7.

Um dos desafios seria criar uma passagem do lado de Arroio do Meio, onde há um paredão de rochas. Por conta disso, seria necessária uma detonação de parte das pedras. Esse material, inclusive, poderia ser aproveitado para formar o aterro dentro da água e possibilitar a construção da passagem.

Capacidade

O objetivo é que a estima sirva exclusivamente para o tráfego de caminhões, que hoje precisam fazer longos desvios para sair de uma cidade para outra. O fluxo de veículos leves e ambulâncias continuaria direcionado para a Ponte de Ferro. A estrutura projetada tem blocos de concreto pré-moldado, com cerca de quatro metros de altura.

O prefeito de Arroio do Meio, Danilo Bruxel, se disse parceiro da iniciativa e acredita que mais opções de acesso entre as duas cidades podem ser viabilizadas. “Até já estamos contatando o Meio Ambiente, pois tem um impacto. Mas vamos torcer para dar certo. A questão de acesso para carros está resolvida. Agora, temos que dar atenção especial para os caminhões e carretas”, frisa.

De acordo com o gestor, é necessário também ter atenção sobre o local onde será construída a nova ponte sobre o Forqueta, licitada pelo município de Lajeado. “Mas também se fala que essa estrutura pode ser feita ao lado de onde será construída a ponte do Exército”.

Simpatia

O Ministério Público também deve participar das discussões para construção da estiva. O promotor Sérgio Diefenbach manifestou simpatia à ideia, mas lembra que ainda não há nada de concreto na iniciativa.

“Quando tivermos mais avanços, e houver um documento neste sentido, vamos sentar com a Secretaria do Meio Ambiente do RS e os executores para verificar eventuais condições para que sejam necessárias à obra. Mas já estamos conversando e esperamos agora os próximos passos”, salienta.

Além da estiva, outra possibilidade para travessia de caminhões será a ponte do Exército, cuja obra de aterramento de onde serão instaladas as cabeceiras estão avançadas. A ideia é de que o trânsito seja liberado na estrutura em meados de julho.

Acompanhe
nossas
redes sociais