“O estrago é tão grande que precisamos de união”, afirma ministro

RECONSTRUÇÃO

“O estrago é tão grande que precisamos de união”, afirma ministro

Comitiva do governo federal visitou municípios atingidos pela cheia. Grupo passou por Muçum, Arroio do Meio e Lajeado

Por

“O estrago é tão grande que precisamos de união”, afirma ministro
Crédito: Karine Pinheiro
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Uma comitiva do governo federal visitou pontos destruídos pelas cheias no Vale do Taquari neste domingo, 2. O objetivo foi fazer uma avaliação das demandas que precisam ser aceleradas na região. O roteiro iniciou em Muçum e seguiu até Arroio do Meio e Lajeado, onde foi conferida a reconstrução da Ponte de Ferro.

Além do ministro extraordinário da Reconstrução, Paulo Pimenta, estiveram presentes os secretários da Reconstrução, Maneco Hassen, e da Defesa Civil, Wolnei Wolff. Em Muçum, na região alta, o prefeito Mateus Trojan expressou preocupação em relação à construção de residências.

O município possui 180 casas confirmadas pelo programa Minha Casa Minha Vida e terreno já adquirido. “Temos que somar forçar para dar celeridade nestes processos. Ainda precisamos de recursos para avançar, além de auxílio na parte da estrutura urbana”, afirma Trojan.

De acordo com Pimenta, as visitas aos municípios atingidos possibilitam um balanço das demandas que precisam de mais celeridade. Ele ainda destaca que é avaliada a possibilidade de o governo federal auxiliar na parte da estrutura urbana.

Quantos às residências, o ministro diz que todas as pessoas que se enquadram nas faixas 1 e 2 do programa Minha Casa Minha Vida terão 100% da casa viabilizada pela União. Nas demais faixas, as oportunidades são de financiamento com juros mais acessíveis. “Estando nas cidades, conseguimos ter uma melhor percepção”, avalia.

Reconstrução da Ponte de Ferro

A comitiva passou construção da nova Ponte de Ferro entre Lajeado e Arroio do Meio. Na oportunidade, o ministro ressaltou a importância da iniciativa no avanço da reconstrução. “É um somatório de esforços, de união. É um trabalho que se soma aos governos federal, estadual e municipal. O estrago é tão grande que precisamos desta união”, diz.

A construção da nova travessia, avaliada em R$ 1,5 milhão, é custeada pela Lyall Construtora e parceiros.

 

Repasses aos municípios

Total: R$ 82,8 milhões para 22 municípios

R$ 22,8 milhões – Parcela extra do FPM
R$ 2,3 – Minstério da Saúde

R$ 667 mil – Ministério da Educação
R$ 55,2 milhões – Ministério da Integração (Defesa Civil)

Acompanhe
nossas
redes sociais