Condição das margens do rio dificulta elevação da ponte móvel do Exército

LAJEADO-ARROIO DO MEIO

Condição das margens do rio dificulta elevação da ponte móvel do Exército

Tenente-Coronel Agostini, menciona que cronograma indica conclusão dos aterros até o início de julho

Por

Atualizado sexta-feira,
31 de Maio de 2024 às 11:27

Condição das margens do rio dificulta elevação da ponte móvel do Exército
Equipes de Arroio do Meio atuam na infraestrutura viária à ponte (Fot: Rodrigo Vedoy)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A montagem da ponte móvel sobre o Arroio Grande, na RSC-287, concluída nesta sexta-feira, 31, gerou questionamentos sobre a celeridade das obras na região de Santa Maria e o vagaroso processo na edificação da ponte entre Lajeado e Arroio do Meio.

O comandante do 5º Batalhão de Engenharia de Combate Blindado, Tenente-Coronel Agostini, explicou que o processo na região é mais dificultoso devido à necessidade de construção de acesso as cabeceiras da ponte, que foi iniciado do zero. “O trabalho de preparação das margens é bastante grande para que as condições técnicas para o levantamento da ponte seja atingindo.”

Ainda que haja significativas etapas a serem concluídas, o comandante considera que o trabalho está adiantado e que até o início de julho, a construção dos aterros seja finalizada. Para dar ainda mais celeridade aos trabalhos, há o planejamento de execução das obras 24h por dia.

A elevação da ponte móvel, pode levar até 15 dias em razão da complexidade da estrutura. Com mais de 60 metros, é necessário nove caminhões para realizar o transporte, além dos materiais e maquináriosà instalação. “A ponte é muito pesada, montada sobre painéis e travessas, não é algo simples”, finaliza o tenente-coronel Agostini.

Confira a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais