Nova mobilização pelo asfaltamento da ERS 129

Opinião

Diogo Fedrizzi

Diogo Fedrizzi

Nova mobilização pelo asfaltamento da ERS 129

Por

 

Inspiradas nos exemplos da reconstrução da ponte de Nova Roma do Sul, lideranças de Roca Sales e da região se mobilizam para formar uma associação. A primeira conversa ocorreu nesta semana e reuniu empresários, representantes de entidades e agentes públicos. A missão é buscar recursos para as obras de asfaltamento da ERS-129, no trecho de seis quilômetros que liga Roca Sales a Colinas, e também para a construção de uma ponte sobre a galeria da Avenida General Daltro Filho, entre o Curtume e a JBS (foto). Desde a tragédia de setembro, e a cada nova inundação, o Rio Taquari avança pelo local e deixa a Cidade da Amizade e municípios vizinhos divididos.

As duas obras são tratadas como prioridade, a fim de garantir a sobrevivência econômica da região alta do Vale do Taquari. Uma avaliação preliminar aponta que seriam necessários R$ 20 milhões. Embora o grupo reconheça dificuldades por se tratar de uma estrada de responsabilidade do Estado, a ideia é encontrar alternativas legais para viabilizar o projeto o mais rápido possível.

Jacaré furioso

Impressionantes as imagens que presenciamos e os relatos que ouvimos de moradores, tão logo tivemos acesso à região do Vale do Jacaré, local onde, lamentavelmente, um dos tantos deslizamentos arrastou casas e tirou a vida de uma pessoa. Um casal ainda está desaparecido. Os vizinhos Alexandre Graciola e Elton Lappe (foto) vivenciaram os momentos mais tensos e abrigaram famílias em suas casas. E ainda hoje se impressionam com a gigante pedra que desceu a montanha. A foto do colega Matheus Laste também revela as marcas da devastadora passagem do Arroio Jacaré pela região do moinho, na ERS 332.

Fomos avisados!

Durante a intensa e necessária cobertura do Grupo A Hora sobre a histórica catástrofe climática de maio, separei um tempo para revisar as anotações que havia feito no seminário sobre enchentes realizado em fevereiro deste ano na cidade de Muçum. Naquele sábado de sol, dois especialistas convidados anteciparam os tristes episódios que presenciamos nos últimos dias.

Primeiro foi o professor da UFRGS, o japonês Masato Kobiyama, autor da inesquecível frase de que “lugar bonito, é lugar perigoso”, ao se referir às características geográficas do Vale do Taquari e ao perigo crescente de deslizamentos em montanhas e encostas devido à ocupação dessas áreas por habitações. “Vocês devem se preocupar com a inundação, mas não esqueçam dos deslizamentos. Os dois ocorrem com chuva”, alertou. A outra do japonês, e que precisamos aceitar e trazer para a nossa rotina urgentemente, é de que “educação e treinamento dos cidadãos sobre técnicas de evacuação salvam vidas”.

Depois, foi o professor Walter Collishonn, que afirmou, com base em argumentos científicos, que os três estados do Sul do país estão no centro de preocupantes eventos climáticos nos próximos anos. E isso é muito sério!

Ideia interessante!

Entre os assuntos debatidos pelo prefeitos da Associação dos Municípios do Alto Taquari (Amat) com o governador Eduardo Leite na visita a Encantado, um dos que me chamou a atenção positivamente foi a sugestão do prefeito Jonas Calvi de disponibilizar o futuro Centro de Inovação Tecnológica, que será instalado no antigo campus da Univates, no Bairro São José, como um espaço estratégico para a implantação de ações e estudos voltados à prevenção de novos desastres climáticos.

Boas notícias

Em meio ao triste cenário que presenciamos nos últimos dias, que tal compartilharmos notícias animadoras? Selecionei algumas da semana.

  • A Dália Alimentos retomou a operação dos frigoríficos de suínos e de aves nesta semana;
  •  Em entrevista à Rádio A Hora 102,9 FM, os diretores da Fontana SA, Maurício e Ricardo Fontana, garantiram a manutenção dos mais de 200 empregos, apesar de a indústria ser impactada com a quarta enchente em oito meses.
  •  Diversas empresas encantadenses que não foram atingidas pela cheia só dependem do restabelecimento da infraestrutura logística para voltar a trabalhar a pleno. É o caso da Divine Chocolates.
  • Iniciativas voluntárias se somam a tantas ações que buscam a reconstrução de nossa região. Uma delas é a SOS Habitar, associação que pretende construir 96 apartamentos em Encantado.
  • O Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro) de Encantado, liderado pelo empresário Robison Gonzatti, repassou seis televisores de 50 polegadas para o videomonitoramento da cidade.
  • Presidente da CIC-VT, Angelo Fontana, revelou que empresários da serra vão doar estruturas metálicas para reconstruir 11 pontes e pontilhões do interior dos municípios do Vale do Taquari.
  • A outra é o Recupera Muçum, programa que concentra esforços para juntar R$ 6 milhões e adquirir uma área de terras de 60 hectares, afastada do risco de alagamentos, a fim de disponibilizar lotes de terrenos para novas moradias e estabelecimentos comerciais e industriais muçunenses. Uma das líderes desse movimento é a empresária Jeanine Sangalli (foto).

Eu pergunto!

Depois dessa nova tragédia, será que os futuros candidatos de Encantado, Roca Sales e Muçum, por exemplo, têm noção dos desafios e dos pepinos que terão que descascar caso obtenham sucesso nas eleições de outubro?

Acompanhe
nossas
redes sociais