Voluntários pedem novos barcos para retomar travessia no Rio Forqueta

ARROIO DO MEIO - LAJEADO

Voluntários pedem novos barcos para retomar travessia no Rio Forqueta

Passadeiras do Exército foram arrancadas pelas fortes correntezas do rio, por volta das 16h

Por

Atualizado sexta-feira,
24 de Maio de 2024 às 12:18

Voluntários pedem novos barcos para retomar travessia no Rio Forqueta
Foto: Gabriel Santos
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Após a interrupção das operações de travessia entre Arroio do Meio e Lajeado devido às adversidades enfrentadas no Rio Forqueta, voluntários e a Defesa Civil lançam um apelo urgente por doações ou recursos para a aquisição de novos barcos. A situação se agravou quando as passadeiras do Exército foram arrancadas pelas fortes correntezas do rio, por volta das 16h de ontem, 23

O coordenador da Defesa Civil, Valdecir Crecêncio, enfatizou a necessidade de restaurar a travessia para os moradores da região. Segundo ele, os voluntários, que têm atuado desde o início do mês, perderam seus barcos para as águas. Além disso, uma embarcação motorizada pertencente à Defesa Civil foi completamente destruída. “Precisamos urgentemente de novos barcos e equipamentos de segurança para reiniciar o serviço de travessia. Este é um apelo que estamos fazendo à comunidade”, destaca.

A expectativa é de que, assim que as águas baixarem e o nível do Rio Forqueta permitir, os voluntários retomem imediatamente o serviço de travessia de pessoas. No entanto, as recentes correntezas causaram danos significativos, levando não apenas as passadeiras, mas também uma balsa que estava ancorada no local, sendo arrastada e amarrada metros adiante.

Botes do Exército

Novas passadeiras virão de unidades da Engenharia do Exército em São Borja (na fronteira gaúcha com a Argentina), Palmas (PR) e Tubarão (SC) (Foto: Gabriel Santos)

Enquanto isso, o tenente-coronel do Exército, Diego da Silva Agostini, em entrevista à Rádio A Hora, no programa Frente e Verso, informou que atualmente não há condições seguras para qualquer tipo de travessia devido à intensidade das correntezas e a presença de galhos no rio. No entanto, duas passadeiras estão a caminho da região e serão instaladas assim que as condições climáticas permitirem.

Estas estruturas, estão sendo transportadas, devem chegar à região ainda hoje à noite e outra está prevista para chegar amanhã. Agostini ressaltou a importância de preparar as margens para a instalação das estruturas, de modo semelhante ao que existia anteriormente, incluindo o lançamento de um cabo de aço para sustentação das passarelas.

O comandante também mencionou que, na tarde de ontem, todas as estruturas metálicas foram perdidas, além de um bote que foi levado pelas águas. No entanto, outros cinco botes continuam sendo utilizados pelos militares, enquanto medidas estão sendo tomadas para restabelecer a segurança da travessia.

 

Acompanhe
nossas
redes sociais