Procura por imóveis para locação aquece mercado imobiliário em Teutônia

Alternativas

Procura por imóveis para locação aquece mercado imobiliário em Teutônia

Moradores de municípios aingidos pela enchente buscam imóveis para alugar em locais seguros

Por

Procura por imóveis para locação aquece mercado imobiliário em Teutônia
Corretores tentam colocar casas que estavam à venda para locação. (Foto: EZEQUIEL NEITZKE)
Teutônia
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Pouco afetada pelas cheias do início de maio, Teutônia é procurada por moradores de cidades vizinhas para fixar residência. O crescimento preocupa os gestores municipais que buscam alternativas para promover um desenvolvimento sólido.

Subsecretário de Planejamento, Mobilidade Urbana e Segurança Pública, Alexandre Etgenton destaca que a cidade possui capacidade para crescer. Cita que com exceção do bairro Languiru, os demais e as comunidades ainda têm espaço para abertura de loteamentos e novos empreendimentos. “Apesar de sofrermos com alagamentos, a enchente não foi tão grande, então a procura para se residir aqui aumentou e temos que estar atentos.”

Teutônia é a segunda maior economia do Vale, segundo dados do IBGE de 2022. Etgenton salienta que o grande desafio para os próximos anos é criar rotas alternativas para não depender da Via Láctea e da estrada velha. “Teutônia cresceu e se desenvolveu entre três bairros, temos que cuidar para não repetir os mesmos erros do passado.”

Decisão certa

O industriário William Klunk é um dos que migraram de Estrela para Teutônia. Natural de Bom Retiro do Sul, o industriário estava morando faz cinco anos no Bairro Alto da Bronze, em Estrela.

No dia 30 de abril, saiu do trabalho às 11h, com o Rio Taquari em 21m. Ao chegar em casa, conseguiu tirar alguns documentos, mobília e roupa. “O que não conseguimos tirar, levantamos, pois para entrar na nossa casa tinha que dar mais de 28m. Mas não imaginávamos que teríamos essa perda.”

Klunk destaca que comprou a casa faz dois anos e sequer havia terminado de pagar. Sobre o futuro, destaca que a casa não tem condições de ser habitada e precisa de um grande investimento.

O industriário destaca que estava entre Teutônia e Lajeado. Quando estava próximo de fechar negócio por uma residência em Lajeado, a irmã de um colega de trabalho pôs a casa para alugar em Teutônia. “Foram verdadeiros anjos em nossa vida.”

Sobre a readaptação, comenta que por mais que conhecesse Teutônia, é um processo novo. Em um primeiro momento, ele e a esposa seguirão trabalhando em Estrela.

“Ela vai locar um espaço para atender as clientes dela, mas só de saber que na próxima enchente não precisarei enlouquecer novamente, me dá a sensação de que estou tomando a decisão certa. Nesse início será um pouco mais complicado, mas no fi m dará tudo certo”, enfatiza.

Poucos imóveis

O corretor Anderson Machado destaca que se a empresa tivesse mais imóveis, teria locado todos. “O mercado já carecia de opções, e a enchente aumentou a demanda.” Comenta que a procura está muito grande por moradores de Estrela.

Acompanhe
nossas
redes sociais