Prejuízos nas estradas passam de R$ 3 bilhões, diz Estado

LOGÍSTICA

Prejuízos nas estradas passam de R$ 3 bilhões, diz Estado

Ainda são 77 bloqueios em 46 rodovias gaúchas. No Vale do Taquari, EGR lança edital para reconstruir ponte sobre a ERS-130, entre Arroio do Meio e Lajeado

Por

Prejuízos nas estradas passam de R$ 3 bilhões, diz Estado
FOTO: RODRIGO VEDOY
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O caos logístico sobre o RS exige uma ação conjunta entre governos jamais vista. Municípios, Estado e União mapeiam locais deteriorados e encaminham força-tarefa à reconstrução. Conforme levantamento preliminar do governo gaúcho, os prejuízos em estradas e pontes se aproximam de R$ 3 bilhões.

De acordo com o secretário de Logística e Transportes (Selt), Juvir Costella, foram organiza- dos diversos grupos de trabalho para conseguir dar o mínimo de condições de tráfego para veículos e pedestres.

Até o momento, mais de 70 trechos de pelo menos 30 rodovias do Estado foram liberados. No pior momento desde o começo das chuvas, foram 170 bloqueios em 79 pontos de 97 municípios.

Pelo acompanhamento da Selt, hoje são 77 trechos com bloqueios totais ou parciais em 46 rodovias. Nesta lista, estão rodovias, pontes e transportes por balsas. “Mais de 90% dos municípios gaúchos foram prejudicados pelas chuvas e inundações. Então, as rodovias de todas as regiões têm algum grau de dano”, ressalta o secretário.

No Vale do Taquari, contando rodovias do Estado e a BR-386 são 13 pontos com restrição de tráfego. Duas estão entre as mais graves, com interrupção total, são: a ponte entre Arroio do Meio e Lajeado, pela ERS-130, e também na ERS-287, entre Mariante e Taquari.

“Estamos com uma interlocução direta com prefeitos das regiões afetadas pela maior tragédia ambiental da história. Nosso trabalho é ter um diagnóstico preciso sobre os dados para assim termos assertividade nas ações de reconstrução das estradas e pontes”, afirma Costella.

Trechos críticos

Um dos mais afetados fica em Vila Mariante. A circulação de veículos está totalmente interrompida. A liberação parcial deve ser só na primeira semana de junho. São seis quilômetros de asfalto destruído.

A rodovia é concedida à iniciativa privada. A Rota de Santa Maria estima que a recuperação desde Tabaí até Santa Maria, deve levar pelo menos um ano.

Na rodovia, a informação positiva foi a condição da ponte. A partir da análise do setor de engenharia da concessionária, os pilares resistiram à força da água e não comprometeram as condições de tráfego.

Já entre Arroio do Meio e Lajeado, a ponte sobre o Rio Forqueta precisará ser reconstruída. Nessa segunda-feira, a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) iniciou o processo para a obra.

Pela necessária agilização do processo, foi autorizada a dispensa de licitação. Será feito um leilão. A abertura das propostas está marcada para a próxima semana, dia 27, às 10h. Os critérios de julgamento levam em consideração o menor preço, preferencial Microempresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP).

A estimativa é que o contrato seja assinado em junho, com seis meses de execução. Dessa forma, a EGR estima entregar a nova ponte em dezembro.

O acesso para Colinas, pela ERS-129, se tornou a principal rota de ligação com a parte alta do Vale. A entrega de itens de primeira necessidade para Roca Sales, Encantado e Muçum passam por esse trecho.

Como a passagem está danificada, nesta semana o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) fechou a passagem para manutenção. A interrupção começou nessa terça-feira, 21.

O trabalho das equipes ocorre das 9h às 12h e das 14h30min às 17h30min. A mesma programação continua na quarta, 22, quinta, 23, e sexta-feira, 24.

De acordo com o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), fora dos horários de bloqueio, o tráfego segue normal.

Condição da BR-386

No Vale do Taquari, a única rodovia federal, a BR-386, teve diversos danos. Da serra de Pouso Novo até Forquetinha, a CCR ViaSul mantém equipes de manutenção. Houve queda de barreiras.

Diagnóstico prévio

Municípios

Todas as cidades da região apresentam danos nas estradas vicinais. Algumas em menor escala, onde
trabalhos pontuais de manutenção proporcionam condições de trafegabilidade. Os pontos mais críticos são em pontes. Conforme o secretário de Comunicação Institucional da Presidência da República, Maneco Hassen, os prefeitos cadastram as passagens destruídas e danificadas. Até o momento, confira as aprovadas:

  • Canudos do Vale: R$ 3,2 milhões
  • Forquetinha: R$ 3,7 milhões
  • Arroio do Meio/Lajeado (Ponte de Ferro): R$ 6,7 milhões
  • Marques de Souza/Travesseiro: R$ 4,1 milhões

Federal

  • BR-386 Pouso Novo: pare e siga, queda de barreira
  • Lajeado: Ponte Seca, parcial (trânsito no contrafluxo pela pista sentido capital)
  • Lajeado-Estrela: Ponte sobre o Rio Taquari, parcial (trânsito no contrafluxo. Duas pistas no sentido capital. Uma pista no sentido interior)
  • Estrela: (Fábrica de rações), bloqueio em uma pista, manutenção após alagamento
  • Fazenda Vilanova: parcial em uma pista, interdição para reforma.

Estradas com bloqueios

  • Estaduais: ERS-129
  • Colinas: Pista bloqueada para manutenção
  • Muçum: Bloqueio total, queda da pista
  • ERS-332: Encantado (dois pontos), bloqueio parcial, erosão do asfalto, trânsito em meia pista
  • Ponte: cabeceira desmoronando, trânsito em meia pista, limite no peso (caminhões até 57
    toneladas)
  • ERS-130 Arroio do Meio: bloqueio total, ponte sobre o Rio Forqueta caiu
  • Venâncio Aires: bloqueio total, erosão na pista
  • Taquari: bloqueio parcial, entulhos na pista
  • RSC-453: Westfália (dois pontos), bloqueio parcial no acesso a Imigrante, bloqueio parcial devido a queda de barreiras (km 66)

Acompanhe
nossas
redes sociais