“O Vale vai se unir e superar as dificuldades”, diz Adilson Metz

ASSOCIATIVISMO PÓS-ENCHENTE

“O Vale vai se unir e superar as dificuldades”, diz Adilson Metz

Presidente da Sicredi Integração RS/MG fala sobre o apoio aos associados e o papel das empresas na retomada após as cheias

Por

“O Vale vai se unir e superar as dificuldades”, diz Adilson Metz
Adilson Metz, presidente da Sicredi Integração RS/MG (Foto: Rodrigo Gallas)
Vale do Taquari

Em meio à tragédia climática ocorrida no Vale do Taquari, o associativismo mostra a sua força e potencial. A retomada para empresas, é tarefa árdua, mas significativa para manter a economia e o desenvolvimento da região. No Sistema Sicredi não é diferente. Com uma agência completamente danificada em Cruzeiro do Sul, o presidente da Sicredi Integração RS/MG, Adilson Metz reforça o trabalho incansável de apoio às equipes, colaboradores e associados.

No social, Metz cita o fundo de filantropia destinado para ajudar os atingidos das enchentes. Com valor já definido, a cooperativa recebe doações. “O Sistema Sicredi tem o Pix onde estão sendo feitas doações e essas repassadas às cooperativas de acordo com a situação. Vamos prestar contas para os mais de 88 mil associados. Doações de material escolar, ajuda na reconstrução de escolas, dentre outras. Estamos acolhendo os pedidos das comunidades e regiões, conversando com prefeitos e demais autoridades.”

Nos negócios, a cooperativa atua ouvindo cada associado e com ele busca encaminhar a melhor estratégia. “São pessoas que precisam de prazo, de novo crédito, estamos baixando as margens para poder ajudar, atender cada um de acordo com a sua realidade.”

Metz descreve ainda que, tendo água, luz, estrada e comunicação muita coisa vai ser resolvida. “As empresas vão retomar, a economia vai voltar a girar e a partir disso, os negócios vão andar. A empresa que gera emprego, precisa continuar suas atividades para manter essa mão de obra e as pessoas terem renda para sobreviver. O Vale do Taquari vai usar o espírito de união, de associativismo e superar as dificuldades, cada um fazendo a sua parte e não esperar um milagreiro chegar. Todas as profissões são importantes e dignas, todos somos vulneráveis e necessários”.

Sobre a agência afetada em Cruzeiro do Sul, Metz garante que a unidade não será retirada do município. Estão em tratativas para outro espaço onde não há possibilidades de a água chegar. As demais, todas estão operando. “Vamos seguir todos os projetos, todas as obras vão seguir. A importância da expansão, as doações vindas, isso fortalece a região.”

Acompanhe a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais