Mesmo com sedes alagadas, FB Net manteve conexões na região

Opinião

Thiago Maurique

Thiago Maurique

Jornalista

Coluna publicada no caderno Negócios em Pauta.

Mesmo com sedes alagadas, FB Net manteve conexões na região

Por

Vale do Taquari

Com duas unidades atingidas pelas enchentes, a FB Net conseguiu manter a maior parte dos clientes conectados à internet nos vales do Taquari e Rio Pardo em meio aos eventos climáticos que assolaram a região. Além de solucionar diversos danos à infraestrutura provocados pelas cheias, a empresa também auxiliou na conexão de prefeituras, defesas civis, hospitais e até provedores concorrentes.

De acordo com o CEO da empresa, Júnior Bohn, toda a equipe técnica trabalhou em regime de plantão ao longo do momento mais agudo da crise. Hoje, a empresa ainda redobra esforços na manutenção dos danos. “Foi uma luta constante para manter o sistema no ar.”

Conforme Bohn, a água invadiu a sede da empresa em cerca de um metro, o que alagou geradores e parte da sala de máquinas que fornece energia para o Data Center. “Trabalhamos a noite toda no escuro e na água. Instalamos novos geradores e transferimos a estrutura para o segundo andar e mantivemos tudo funcionando.”

Na sede de Lajeado, a água invadiu a uma altura de 1,5 metro, o que também provocou alagamento no gerador. Com a ajuda de um barco, a equipe conseguiu entrar na unidade e instalar um cabo no Data Center, que foi ligado em outro gerador, distante cerca de 200 metros.

Além das ações nas sedes atingidas, a FB Net também deslocou grande contingente para recuperar infraestrutura destruída pela força das águas. “Na semana passada, instalamos 43 postes, com força humana”, ressalta. Com algumas rotas novamente alagadas no fim de semana, a empresa segue trabalhando para garantir a conectividade nas comunidades da região.

Após críticas, postos desistem de elevar preço do diesel

Pegou mal entre as empresas de logística o anuncio de aumento de R$ 0,10 no litro do diesel por parte de duas empresas do setor de combustíveis: o Grupo Sim e a Rede de Postos Buffon. Na terça-feira, O Grupo Sim enviou comunicado aos seus clientes justificando a medida. Conforme a nota, a elevação nos preços se deveria ao impacto nos custos de compra, operacionais e logísticos para manter os postos funcionando. Comunicado semelhante foi recebido por clientes do grupo Buffon.

Nas redes sociais, empresários do setor de transportes manifestaram descontentamento com a medida. Influente dirigente do segmento questiona a prática desse aumento no momento em que as empresas de logística prestam trabalho voluntário no transporte de donativos aos atingidos. “Inaceitável esse tipo de atitude no momento em que estamos passando.”

Ontem, as duas empresas voltaram atrás na decisão. Conforme o Grupo Sim, o aumento não chegou às bombas e os valores cobrados dos clientes conveniados já voltaram ao normal. Para os empresários do setor, valeu a pressão da sociedade e dos transportadores que estão fazendo a logística das doações.

CIC-VT integra reunião com presidente Lula

Presidente da Câmara de Indústria e Comércio do Vale do Taquari (CIC-VT), Ângelo Fontana integrou ontem agenda com o presidente Lula e a comitiva do Governo Federal em São Leopoldo. A cúpula do Executivo anunciou novas medidas de auxílio a população atingida pela tragédia e as entidades empresariais, lideradas por Federasul, Fiergs, Fecomercio e Farsul, apresentaram documento com sugestões tributárias para enfrentar a crise das enchentes.

Na terça-feira, 14, Fontana participou de reunião do Comitê de Crise do Governo do RS, onde discutiu a agenda do censo desenvolvido pelo gabinete de Apoio ao Empreendedor. A pesquisa visa coletar informações das micro, pequenas, médias e grandes empresas para compreender a extensão dos danos ao setor produtivo.

Frase do dia 

“Estamos enfrentando dificuldades no recebimento de matérias-primas e insumos necessários para a produção. As fábricas também começam a enfrentar alguma dificuldade no abastecimento de gases (Hidrogênio e Nitrogênio).Da mesma forma, estão com o desafio de garantir o escoamento das mercadorias.”

José Paulo Medeiros – diretor de produção e RH da Tramontina, em entrevista para a CNN.

Rápidas 

  • Campanha do Agasalho – Diante da situação de calamidade pública no Estado, a Construtora Diamond decidiu ampliar a tradicional campanha do agasalho promovida anualmente pelo Diamond Social em parceria com os Empreendimentos do Bem. As Imobiliárias Diamond de Lajeado, Gramado e Balneário Camboriú recebem doação de roupas, calçados, artigos de cama e banho, ração para pets, produtos de limpeza e higiene pessoal que serão destinados às famílias atingidas pelas cheias. Em nota, a empresa afirma que está com as equipes reduzidas, já que muitos colegas, familiares, amigos e parceiros também foram afetados direta ou indiretamente. “Apesar de todas as dificuldades, temos o compromisso e o dever de estender a mão às nossas comunidades.”
  • Sem corte de energia – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu flexibilizar as regras de prestação do serviço de distribuição de energia no Rio Grande do Sul em decorrência da situação de calamidade pública. Diante de restrições de leitura de consumo de energia, entrega da conta de luz e pagamento, a Aneel determinou a manutenção da prestação do serviço mesmo em casos de inadimplência. Dessa forma, não são permitidas as ações de suspensão do fornecimento e de cobrança por no mínimo 90 dias para os municípios atingidos. É permitida a emissão de fatura pela média ou a não realização de faturamento nas situações em que a leitura não for possível e a entrega da fatura por meios alternativos.

 

Acompanhe
nossas
redes sociais