Corsan/Aegea planeja perfurar poços em áreas não alagáveis em Estrela

ABASTECIMENTO DE ÁGUA

Corsan/Aegea planeja perfurar poços em áreas não alagáveis em Estrela

Iniciativa faz parte do plano de recuperação pós-cheia no município. Bairros da cidade registram cerca de 15 dias sem fornecimento de água

Por

Corsan/Aegea planeja perfurar poços em áreas não alagáveis em Estrela
Foto: Arquivo/A Hora
Estrela

Após cerca de 15 dias sem fornecimento de água em alguns bairros de Estrela, a Corsan/Aegea apresentou plano de recuperação da rede no município. De acordo com o levantamento da companhia, nove poços foram diretamente afetados pela cheia do Rio Taquari. Ao todo, a cidade possui 18. Neste momento, 15 estão em pleno funcionamento. A expectativa é que o serviço seja normalizado até amanhã, 16.

Entre as iniciativas, a empresa aponta a construção de novos poços em áreas não alagáveis. Localidades em pontos altos, como Auxiliadora, Alto da Bronze, Cristo Rei e Linha Santa Rita, devem ser avaliadas pela companhia. Com metade do sistema de abastecimento atingido pela enchente, a Corsan/Aegea ressalta a necessidade de repensar o fornecimento de água.

Segundo a empresa, a prioridade é garantir que o sistema de abastecimento não seja afetado em períodos de cheia ou estiagem. O número de poços não foi definido, pois será decidido com base na vazão da água. Desta forma, também há a possibilidade de flexibilizar o uso dos poços de acordo com a necessidade de fornecimento de água. A avaliação nos bairros deve iniciar em cerca de 15 dias.

Em caso de emergência

Representantes da prefeitura de Estrela e da Corsan/Aegea se reuniram na tarde desta quarta-feira, 15, para debater o plano de recuperação e também medidas emergenciais. Diante do questionamento do prefeito Elmar Schneider para a retomada do serviço após o nível da água baixar, o diretor da companhia, Rodrigo Lacerda, explicou que os poços precisam de energia para o funcionamento.

O bloqueio de diversas estradas pelo Estado, segundo ele, dificultou a chegada de geradores. Como alternativa, a companhia confirmou a disponibilidade de geradores para operação em casos de cheia. Além disso, na próxima semana será instalado um sistema de automação que permite avaliar a pressão da água de forma online, o que deve agilizar a resposta das demandas.

Acompanhe
nossas
redes sociais