Taquariense aumenta projeto de escolinha

Categorias de base

Taquariense aumenta projeto de escolinha

Com cerca de 180 alunos, atividades são gratuitas para comunidade de Taquari

Por

Taquariense aumenta projeto de escolinha
Projeto em Taquari conta atualmente com 180 jovens na Escolinha Foto: divulgação
Taquari

O Taquariense, clube que já brilhou nos campos profissionais, agora se reinventa como uma referência no esporte regional. Desde sua fundação em 12 de junho de 1997, a Escolinha tem sido um pilar essencial na reestruturação do clube, mas foi após a pandemia que assumiu sua forma integralmente dedicada ao projeto social.

Com um olhar para o passado, é notável o crescimento do projeto ao longo dos anos. Segundo o presidente Chico Donida, o que começou com um único aluno, Guilherme Lacorte, no primeiro dia de atividades, sem patrocinadores floresceu para abrigar 180 jovens e atrair diversos apoiadores.

Atualmente, a equipe conta com o trabalho dedicado de oito voluntários e dois professores remunerados, além de Nieli, mãe de um dos alunos, responsável pelas mídias do projeto, e Tafu, um voluntário especial. “Essas 10 pessoas são o motor que impulsiona o sucesso do projeto”, destaca o presidente.

Donida destaca que para participar da Escolinha é simples, basta que o aluno compareça acompanhado dos pais ou responsável, preencha a ficha de inscrição e passe por um período de adaptação. O único custo é a aquisição do uniforme, e o clube não lucra com a venda.

As atividades da Escolinha são divididas em diversas categorias, com treinamentos durante a semana no próprio Taquariense e no Colégio Assunção. Mesmo em dias chuvosos, os treinos são mantidos no pavilhão.

Pertencimento 

O mandatário destaca que a importância desse projeto ultrapassa as linhas do campo e faz com que o clube crie um vínculo novamente com a comunidade. “Esses jovens atletas crescerão identificados com o Taquariense, tornando-se os futuros líderes e apoiadores do clube.”

Além do futebol, a Escolinha proporciona oportunidades únicas para a comunidade local. Aqueles que não teriam condições de participar de uma escolinha tradicional encontram um espaço inclusivo, onde não apenas aprendem o esporte, mas também desenvolvem habilidades sociais e
emocionais.

O profissional destaca que os objetivos do projeto são vastos como criar vínculos, oferecer um ambiente saudável, formar cidadãos e, por que não, moldar atletas para o futuro, seja no profissionalismo ou no amadorismo, contribuindo não apenas para o Taquariense, mas para toda a região.

 

Acompanhe
nossas
redes sociais