Vereadores aprovam mais um ano de aluguel social em Lajeado

LEGISLATIVO

Vereadores aprovam mais um ano de aluguel social em Lajeado

Valor de mil reais será estendido por até 18 meses e atende famílias que perderam as residências onde moravam na enchente de setembro de 2023

Por

Atualizado terça-feira,
02 de Abril de 2024 às 20:49

Vereadores aprovam mais um ano de aluguel social em Lajeado
Lajeado

A Câmara autorizou o governo de Lajeado a estender o período de concessão do aluguel social por mais 12 meses. A aprovação do projeto ocorreu por unanimidade na sessão desta terça-feira, 2. Com a liberação, as famílias que perderam suas residências na enchente de setembro de 2023 poderão ser contempladas com o benefício de até mil reais por, no máximo, 18 meses. O texto inicial previa duração de seis meses para o recurso.A ampliação do tempo do programa denominado de aluguel social era uma reivindicação de integrantes da oposição, que criticaram a demora no envio do texto ao Legislativo. “Governo deixou pra decidir tardiamente. Conseguiu gerar angústia nas pessoas. Cobramos aqui fortemente, não há o que ressaltar”, aponta Carlos Eduardo Ranzi (MDB).

Jones Vavá (MDB) cobrou que seja concluída a análise dos pedidos de auxílio pelo setor de habitação do governo municipal. “Há pessoas ainda com o aluguel social em análise. Tenho três casos em meus gabinetes”, comenta.

Sérgio Kniphoff (PT) afirmou que houve falta de sensibilidade em demorar no envio do texto para análise na Câmara. Em defesa do governo, Paula Thomas (PSDB), enfatizou a importância dos recursos até que estejam concluídas as construções de moradias definitivas com recursos da União.

Foram demandados para atendimento da demanda de auxílios de aluguel o valor de até R$ 1 milhão.

Também foram aprovados outros dois projetos. Um deles autoriza a a contratação de um professor. Já a outra matéria denomina de “Praça José de Souza” a estrutura localizada na Avenida Beira-Rio, no bairro Conservas.

Líder de governo deixa a Câmara
Com o retorno de Fabiano Bergmann (Medonho) para o Legislativo, Mozart Lopes (PP) deixa a cadeira que ocupa na casa. Representante da gestão de Marcelo Caumo na Câmara, o vereador enfatizou a boa relação com os colegas e o trabalho para votação de projetos importantes, entre eles a criação da guarda armada municipal “Foi um debate intenso. Na primeira vez o projeto foi arquivado, mas depois com muito diálogo conseguimos a aprovação em uma união de esforços”, analisa.

Com 682 votos somados em 2020, Lopes ficou na primeira suplência dos Progressistas e herdou a vaga de Bergmann que assumiu a secretaria de Obras de Lajeado.

Mozart Lopes (PP) deixa o Legislativo nesta semana (Foto: Henrique Pedersini)

Briga entre alunos na Univates
As agressões que envolveram um aluno do Castelinho e o estudante de outra escola de Lajeado dentro da Univates repercutiu na sessão desta terça-feira. Marquinhos Schefer (MDB) pediu que a universidade amplie a segurança no campus para impedir que pessoas de fora do ambiente escolar tenho acesso aos prédios. Em defesa da instituição, Kniphoff lembrou que a Univates apenas disponibiliza as salas de aula devido as obras no Castelinho após a enchente.

A maioria dos vereadores pediu conscientização dos estudantes e familiares para evitar novos episódios de conflitos entre alunos.

Obras na BR-386
O atraso no cronograma e a indefinição quanto a retomadas das obras para duplicação da BR-386 também renderam críticas. A maior preocupação é com os acessos aos bairros como Centenário, Olarias e Imigrante.

Há uma projeção que a CCR Via Sul, empresa que detém a concessão da rodovia, encaminhe um desfecho para o impasse até o dia 15 de abril. “Tivemos morte nessa semana mesmo em acidente no trecho em obras da BR-386”, alerta Eder Spohr (MDB).

Outro tema que gerou manifestações foi o dia de conscientização sobre o autismo. Vereadores oposicionistas cobraram uma ampliação na estrutura de atendimento da Casa Verde, onde a fila de espera chega a 200 crianças.

Acompanhe
nossas
redes sociais