Protesto alerta sociedade sobre aumento de impostos

ICMS gaúcho

Protesto alerta sociedade sobre aumento de impostos

Ato em frente ao Palácio Piratini começa às 15h. Em entrevista ao programa Frente e Verso, o presidente da Federasul, Rodrigo Sousa Costa, critica falta de palavra do governador Eduardo Leite

Por

Protesto alerta sociedade sobre aumento de impostos
Presidente da Federasul, Rodrigo Sousa Costa, convoca representantes de entidades e os cidadãos para protesto na tarde de hoje (Foto: divulgação)
Estado

“Não aceitamos o fim da isenção do ICMS e nem mesmo o aumento de qualquer imposto. O governador tem que fazer gestão e cumprir com a palavra dada durante a campanha”. A afirmação do presidente da Federasul, Rodrigo Sousa Costa, dá o tom do que será o protesto na tarde de hoje.

Chamado pela federação, o ato ocorre a partir das 15h, em frente ao Palácio Piratini. De acordo com ele, qualquer elevação de tributo sobre o consumo seria negativo para a economia gaúcha.

“Vamos tirar renda das famílias. Pessoas que já estão endividadas, terão menos dinheiro para comprar comida”, ressaltou durante entrevista ao programa Frente e Verso agora pela manhã.

Na quinta-feira, o governador Eduardo Leite suspendeu os decretos que retiram a isenção de ICMS sobre produtos da cesta básica. A determinação valeria a partir de hoje. Conforme os argumentos do Executivo gaúcho, a prorrogação por 30 dias serve para que se recomece o debate para a majoração da alíquota modal, de 17% para 19%.

“O governo percebeu o tamanho da nossa manifestação e se assustou com o impacto da opinião pública”, acredita o presidente da Federasul. De acordo com Costa, outro reflexo foi a derrota na Assembleia Legislativa. “Foi uma surpresa. Quando deu o empate, tivemos o voto de Minerva do deputado Paparico (Bacchi, PL).

O dirigente se refere ao Projeto de Decreto Legislativo (PDL), que apura se houve abuso de poder do governador ao decretar a retirada de benefícios do ICMS.

“A palavra dada durante a campanha tem que ser mantida. O governador só se elegeu porque se comprometeu que não aumentaria impostos”, reafirmou Costa. 

O presidente da Federasul questionou a legitimidade das justificativas do governo para o aumento de impostos, destacando que a arrecadação aumentou nos primeiros três meses do ano em R$ 2  bilhões em relação ao mesmo período do ano anterior. Ele expressou preocupação com a possibilidade de o governo aprovar rapidamente o aumento, visando garantir obras públicas em 2025, possivelmente em nome de um projeto pessoal.

Acompanhe
nossas
redes sociais