Concessões, alta do ICMS e plano de prevenção: as metas da CIC-VT

VALE DO TAQUARI

Concessões, alta do ICMS e plano de prevenção: as metas da CIC-VT

O atual presidente da Aci-E, Angelo Fontana, assume a principal associação da classe empresarial na região

Por

Concessões, alta do ICMS e plano de prevenção: as metas da CIC-VT
Fontana pretende se licenciar da associação de Encantado para responder pela CIC-VT (Foto: divulgação)
Vale do Taquari

Escolhido por aclamação na noite de sexta-feira para liderar a Câmara da Indústria e Comércio da região (CIC-VT), o empresário Angelo Fontana inicia a semana com uma série de reuniões em Porto Alegre.

Assuntos ligados ao plano de concessões das rodovias do Estado e a mobilização empresarial contra os decretos que elevam o ICMS sobre a cesta básica. Atual presidente da associação de Encantado (Aci-E), Fontana assume a entidade regional só em abril.

Até lá, terá a missão de costurar quem serão os diretores setoriais da CIC-VT.

“Queremos contar com a integração das nossas 18 associadas. Para que todas tenham representantes e possam contribuir.”

O empresário de Teutônia, Ivandro Rosa, foi o presidente durante quatro anos, período em que liderou o setor produtivo em uma série de eventos adversos.

Nominata 2024-26

  • Presidente: Angelo Fontana (Encantado)
  • Vice: Adelar Steffler (Arroio do Meio)
  • Secretário: Gilberto Piccinini (Encantado)
  • Vice-Secretário: Fabiano Basso (Arvorezinha)
  • Tesoureiro: Fernando Fensterseifer (Arroio do Meio)
  • Vice-Tesoureira: Cintia Schmidt (CIC-Teutônia)
  • Conselho Fiscal (Titulares): André Bergamaschi (Encantado), Ana Júlia Scheibler (Lajeado) e Andreia Zwirtes Kich (Estrela).

Entrevista
Angelo Fontana • presidente da CIC-VT

“Precisamos estar próximos dos empresários”

A Hora – A construção para a CIC vem sendo feita desde janeiro. Entre indas e vindas, o nome do senhor só surgiu como possível presidente na semana passada. O que o levou a ser indicado?

Angelo Fontana – Na última eleição, Encantado tinha o direito de indicar um representante para a presidência, pois buscamos sempre a rotatividade entre os municípios. Quando entrei na ACI-E, trabalhei com dois nomes, mas por questões profissionais, não puderam assumir. Após uma reunião do conselho. Abrimos para mais gente, buscamos novos indicados. Ressaltei que Encantado não poderia ficar de fora. Como não houve interessados, eu coloquei meu nome à disposição.

– O que pretende fazer como presidente da CIC-VT?

Fontana – Minha prioridade é seguir as defesas em curso. O Ivandro (presidente até o início de abril) fez um trabalho extraordinário. Teremos pela frente muita conversa sobre o plano de concessões das rodovias. Pela luta sobre a retomada da duplicação da BR-386. Além disso, pretendo promover auxiliar nossos associados em projetos que atingem a todos, como é o caso das ações voltadas para mitigar os efeitos das enchentes.
No campo do associativismo, precisamos estar próximos dos empresários. Vamos agendar assembleias com as 18 entidades parceiras. Criar um documento com até três prioridades por setor. Com tudo compilado, poderemos ver quais são temáticas comuns e demandar o atendimento junto aos governos.

– Em cima desses projetos, a partir de abril, inicia a cobrança adicional do ICMS sobre os alimentos. Qual será a estratégia local neste sentido?

Fontana – Somos contra qualquer aumento de imposto. Nestes decretos, teremos prejuízos em todos os setores, para o produtor rural, empresário e às famílias. Vamos nos unir com a Federasul, que vai promover uma grande manifestação no dia 1º de abril.

Acompanhe
nossas
redes sociais