Embates entre prefeitos e ex-prefeitos “apimentam” as eleições

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Embates entre prefeitos e ex-prefeitos “apimentam” as eleições

Por

Entre as principais cidades do Vale do Taquari, três prometem eleições ainda mais acirradas. Em Teutônia, a luta pela prefeitura vai colocar em disputa um prefeito e dois ex-prefeitos. No caso, Celso Forneck (PDT), Jonatan Brönstrup (PSDB) e Renato Altmann (PSD). E mais. O pleito teutoniense pode contar com a presença da atual vice-prefeita Aline Köhl (PL) entre os postulantes ao principal cargo do Executivo.

Já em Arroio do Meio, tudo indica que o atual gestor vai enfrentar um ex-prefeito. Por lá, os pré-candidatos são Danilo Bruxel (PP) e Sidnei Eckert (MDB). Outro cenário interessante pode se consolidar em Cruzeiro do Sul.

Mesmo com a eventual ausência do atual prefeito, João Dullius (MDB), a eleição de outubro promete ser acalorada com a presença de dois ex-prefeitos: Dingola (PP) e Rudimar Müller (PT). Há movimentos semelhantes em municípios menores.

Tudo isso apimenta ainda mais as eleições e provoca uma participação ainda maior dos velhos e novos eleitores e correligionários. E para alguns isso também demonstra, em determinados redutos, a dificuldade – ou falta de interesse – dos partidos para lançar novos líderes.

 

 

 

 

 

 

 

Ponte (bem) mais alta

A nova ponte entre as localidades de Boa União e São José, em Estrela, será 10 metros mais alta do que a antiga e histórica ponte de ferro. A informação foi reforçada pelo prefeito Elmar Schneider (MDB) durante entrevista ao programa Frente e Verso. Ou seja, não é uma mera substituição da estrutura metálica por outra de concreto e duas vias. Afinal, o empreendimento vai exigir, também, o aterramento de uma boa fatia da Estrada General Osório. E tudo acima da cota de inundação.

Congresso de Logística só em outubro

O 1º Congresso de Logística dos Vales ocorreu em outubro de 2021. E o segundo estava previsto para novembro 2023. Mas, e em função das trágicas enchentes, o evento agendado para ocorrer durante a Multifeira, no Porto de Estrela, foi protelado para 2024. Inicialmente, a Empresa Pública de Logística Estrela (E-Log), uma das organizadoras, anunciou a realização do seminário no dia quatro de abril. Entretanto, e diante e outros compromissos do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (Setcergs), o congresso será realizado apenas no mês de outubro. Mais precisamente no dia 17.

A calculadora e as sobras

Os líderes partidários, os vereadores e os candidatos dormem sobre calculadoras. Os cálculos para o aproveitamento mais assertivo do quociente eleitoral – e das sobras – dominam as esquinas democráticas no Vale do Taquari. E a criação de novos partidos está diretamente ligado a isso.

Vereador debate “vida útil” dos ônibus

Vereador de Lajeado, Marcos Schefer (MDB) protocolou projeto de lei para alterar a idade máxima de fabricação da frota em operação nas linhas urbanas, públicas e coletivas da cidade. De acordo com a matéria apresentada pelo emedebista, a idade máxima passaria de 15 para 17 anos, “visto que devido a pandemia os veículos não puderam ser utilizados, ficando em média dois anos totalmente parados, ou seja, mesmo eles possuindo este tempo de fabricação, o tempo de uso não é o mesmo”.

Qual o futuro da principal concessão no Vale?

O Vale do Taquari ingressou na Comissão Tripartite em julho de 2022. Desde então, a região passou a ter mais voz junto ao bilionário processo de duplicação, ampliação, modernização e manutenção da BR-386. Um pouco mais tarde, em março de 2023, o seleto grupo formado por agentes da CCR Viasul, Antt e conselhos de usuários também abriu as portas para um segundo representante da nossa região. Desta vez, a cadeira foi disponibilizada à Amvat. Ou seja, já contamos com duas figuras representativas no agrupamento responsável por avaliar o passado, entender o presente, projetar o futuro e repactuar o contrato de concessão da nossa rodovia federal. Portanto, é de se esperar que o Vale do Taquari apresente demandas coletivas e assertivas durante o encontro de hoje, em Porto Alegre. Não é hora de puxar a brasa às próprias sardinhas. Em jogo, a segurança e o futuro logístico, econômico e social de mais de 300 mil pessoas. É hora de lutar pelo coletivo, reforço.

TIRO CURTO

  • Em Lajeado, a relação entre o vereador Carlos Ranzi (MDB) e a Secretária de Administração Elisângela Hoss já foi bem mais amistosa. Mas a polêmica envolvendo o projeto que regula a contratação – por meio de concurso público – de mulheres em licença-maternidade levou a relação para um cenário perigosamente hostil.
  • Ranzi critica o projeto e não admite que as mulheres não recebam remuneração até o fim do período de licença. Nas redes sociais, ele chamou a proposta de “pacote de maldade” do governo.
  • Elisângela rebateu as críticas por meio das redes sociais da secretaria. No texto, o governo cita que as afirmações de Ranzi são “equivocadas” e argumenta que o projeto visa regulamentar a contratação de mulheres que estejam em licença-maternidade em outro emprego.
  • Na mesma postagem, o Executivo de Lajeado confirma que, embora o cargo fique reservado, não haverá remuneração até o fim da licença-maternidade, momento em que as mulheres de fato iniciam no serviço público.
  • A troca de farpas por vias virtuais chegou ao plenário da câmara ontem. Ranzi defendeu a sua posição e criticou veemente o uso das redes sociais do governo para, segundo ele, “manchar” a imagem do vereador. Ele estuda, inclusive, um pedido público de retratação.
  • Ranzi também afirmou que, diferente dos vereadores, a secretária não possui “imunidade parlamentar”. Emocionado, citou a esposa, as filhas e os pais. “Eu sei muito bem por quais razões entrei na política. E eles não vão se envergonhar de mim”, disse.
  • O assunto ainda vai reverberar e muito no ambiente político local. E também deve pautar alguns encontros sobre coligações e as eleições de 2024.
  • Em tempo, Lula chega por volta das 15h de sexta-feira a Lajeado. O helicóptero vai pousar no campo da Univates. Ele vai conversar com a comunidade regional nos ambientes do teatro da universidade. Ah, e não haverá espaço para perguntas por parte dos jornalistas.

Acompanhe
nossas
redes sociais