Campanha da Fraternidade 2024 propõe despertar a empatia

ENTREVISTA | O VALE EM PAUTA

Campanha da Fraternidade 2024 propõe despertar a empatia

Tema desta edição é "Fraternidade e Amizade Social." Conforme o padre, ação faz pensar no coletivo, sem divisão de grupos ou comportamentos extremistas

Por

Campanha da Fraternidade 2024 propõe despertar a empatia
Padre Oséias Canísio Dreyer, da Paróquia Santo Antônio, de Estrela (Foto: Pedro Rodrigues).
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A Campanha da Fraternidade 2024 com o tema “Fraternidade e Amizade Social” traz um convite de amor que ultrapassa as barreiras geográficas e do espaço.

Conforme o Padre Oséias Canísio Dreyer, da Paróquia Santo Antônio, de Estrela, a campanha demanda à comunhão e solidariedade, mostrando que a conversão passa pela experiência da humildade, da aceitação do outro e da alegria do encontro que vem da ressurreição. “Diante do processo de divisão, ódio, guerras e indiferenças que tem marcado a sociedade brasileira e o mundo, somos convocados a despertar o olhar de irmão, o cuidado, a empatia. Somos responsáveis pelos ambientes que estamos e convivemos”.

Período da Quaresma

São 40 dias de preparação para a Páscoa de Jesus. Padre Oséias explica que somente no Brasil é promovida a Campanha da Fraternidade.

“A preocupação da igreja é despertar a sensibilidade em tudo que temos diante dos nossos olhos. Proporcionar que se torne um debate público”.

A escolha do tema

Padre Oséias esclarece que a Igreja do Brasil lança o tema um ano anterior. “Além do assunto oficial tratado dentro do manual, cada igreja pode elaborar outros materiais e encontros, promover momentos de reflexão sobre a importância da confissão”.

Ele destaca, ainda, que a missão da igreja é tornar atual a mensagem de Jesus. “Jesus fez jejum, orou, fez penitências e, na nossa paróquia, começamos com o Domingo de Ramos, em seguida, a quinta-feira com o ritual do lava-pés. Na Sexta-feira Santa a adoração à Cruz e o no dia seguinte, Sábado da Vigília, é o sábado da luz, da Ressurreição. São três dias de programação que se complementam e mostrando Jesus próximo de nós”. E complementa, “cada religião cristã tem a sua preparação”.

Acompanhe a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais