Governo propõe reajuste de 5% ao funcionalismo

política e cidadania

Governo propõe reajuste de 5% ao funcionalismo

Índice leva em consideração a reposição da inflação, mais um aumento real de 0,93% aos servidores, superior ao percentual apresentado em 2023

Por

Governo propõe reajuste de 5% ao funcionalismo
Foto: divulgação
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Os vereadores analisam, em sessão extraordinária na manhã de hoje, 16, o reajuste de 5% aos servidores municipais. O percentual foi definido após reunião entre a administração e dirigentes dos sindicatos que representam o funcionalismo e o magistério lajeadense.

Dos 5% propostos, 4,07% se referem a reposição do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado dos últimos 12 meses, enquanto os 0,93% restantes são de aumento real. Em relação aos anos anteriores, a principal mudança é que a data-base utilizada para o reajuste passa a ser o mês de janeiro. Antes, a revisão ocorria sempre a partir de março.

Segundo a secretária de Administração, Elisangela Hoss, o percentual de aumento real supera o apresentado ano passado, quando foi de 0,23%. “Isso é fruto da política que desenvolvemos desde 2017, sempre trabalhando com austeridade. Então, nos dá uma margem de segurança para que possamos melhorar, a cada ano, o aumento para o funcionalismo”, salienta.

O percentual vale para todo o quadro de funcionários ativos e inativos do Executivo e inclui também os cargos comissionados. Já o reajuste para prefeito, vice, secretários, vereadores e servidores do Legislativo será votado em projetos separados, a serem protocolados pelos próprios parlamentares.

Além dos vencimentos do funcionalismo, o governo determinou um aumento no valor do vale-alimentação dos servidores. Com o reajuste de 33,3%, passa de R$ 300 para R$ 400.

“Nós entendemos que essa sistemática de valorização do vale-alimentação é muito importante, sobretudo aos servidores que tem salários menores. Para eles, representa uma fatia considerável da remuneração. Sem contar que é um valor que entra limpo, sem incidência de imposto”.

Anseios e avanços

A proposta de reajuste divide opiniões no funcionalismo. A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Patrícia Rambo, comenta que o desejo era por um índice de 6% a 7%, baseado no aumento do salário mínimo. No entanto, lembra que o percentual ficou dentro do que é previsto em lei.

“Este ano, o prefeito deu um pouco mais além do IPCA para que não tivéssemos perdas. Não é o ideal (os 5%), e Lajeado tem um orçamento de quase R$ 600 milhões. A arrecadação cresceu muito em relação a 2023. Acredito que poderia ter se chegado aos 7%. Mas tivemos um avanço na questão do vale-alimentação”, admite.

Já a presidente do Sindicato dos Professores Municipais, Rita Quadros da Rosa, afirma que ficou satisfeita com o resultado das negociações. Lembra que Lajeado volta a ficar entre os municípios que pagam salário acima do piso do magistério e também valorizou o reajuste ao vale.
“Tínhamos em mente negociar um reajuste em torno de 5%. Isso nos dá um aumento real um pouco acima da

inflação. Historicamente Lajeado sempre pagou bem mais, mas no ano passado passamos a receber somente o piso. Agora, voltamos a ficar um pouco acima”, destaca.

Acompanhe
nossas
redes sociais