Imaginação na infância estimula o desenvolvimento das crianças

NOSSOS FILHOS

Imaginação na infância estimula o desenvolvimento das crianças

Para abordar o tema neste Natal, o convidado do programa Nossos Filhos foi o Papai Noel, que fala da importância das famílias incentivarem a crença no Bom Velhinho e a imaginação dos pequenos

Por

Imaginação na infância estimula o desenvolvimento das crianças
Marciano Tessmann, que interpreta o Papai Noel há 31 anos, foi o convidado do programa de quinta-feira, 22. (Foto: Ana Carolina Lorenzini)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Dezembro traz com ele as festas e, além do significado do nascimento de Jesus, a figura de roupas vermelhas e brancas do Papai Noel. Ao contrário do que muitas famílias pensam, incentivar a crença no Bom Velhinho é um ato saudável. Afinal, a fantasia da criança é fundamental para o desenvolvimento cognitivo e para auxiliar na capacidade de criar e pensar em soluções de problemas.

Para falar sobre o tema, Marciano Tessmann, que interpreta o Papai Noel durante todo o ano, foi o convidado do programa Nossos Filhos, da rádio A Hora 102.9, de quinta-feira, 22. A figura, que por vezes traz adoração ou medo às crianças, faz parte do imaginário infantil e incentiva a fantasia e criatividade dos pequenos.

Apesar de algumas famílias acreditarem estarem mentindo para seus filhos, a psicologia infantil afirma que figuras imaginárias podem auxiliar no desenvolvimento cognitivo das crianças, facilitando, assim, o entendimento de conceitos como solidariedade, bondade e caridade, que estão relacionadas ao espírito de Natal.

“Tivemos um ano pesado, com dificuldades e, ao mesmo tempo, com muita solidariedade e união”, destaca Tessmann.

Teólogo e com formação para ministro, ele diz trazer muito do significado da data nas encenações e reforça que os presentes são um ato de carinho, mas a verdadeira celebração está no nascimento do menino Jesus.

Para Tessmann, trabalhar com crianças é gratificante, em especial na hora da entrega das cartinhas. Entre os pedidos, estão bonecas e carrinhos, mas também pedidos de paz ou de ter a família reunida para a ceia.

Ele diz que não basta vestir a roupa de Papai Noel para fazer o papel, é preciso estudo e dedicação. “Essa missão Deus me deu há 31 anos, e tenho certeza de que Jesus tinha um pedido para mim, que eu levasse amor para as crianças, para as pessoas, e é isso o que eu faço”.

Importância da fantasia

As crianças acreditam ou deixam de acreditar no Papai Noel com o tempo. Mas é importante que os pais não apressem esse processo, e incentivem a fantasia dos pequenos, em especial, nos primeiros anos de vida. Ainda, é papel dos pais facilitar esse mundo da imaginação, oferecendo possibilidades de sonho e fantasia.

A crença em personagens como esses também traz benefícios, e faz com que a criança externalize o que ela tem por dentro, gerando autoconfiança ao longo da vida. Além de favorecer níveis menores de ansiedade, porque ela já vivencia momentos de desafios ao imaginar situações lúdicas que podem ser semelhantes a dificuldades encontradas mais tarde na vida real.

A fantasia também estimula a comunicação, já que, por vezes, as crianças contam coisas em meio à brincadeiras ou mesmo ao Papai Noel, em momentos em que se sentem mais confortáveis.

De acordo com especialistas na área, a crença no Bom Velhinho costuma coincidir com uma fase do desenvolvimento infantil em que o pensamento da criança é centrado na fantasia, até cerca dos 7 anos. Mas o desenvolvimento de cada criança é diferente e, quando a descoberta da verdade sobre o Papai Noel é natural, sem rupturas, se torna uma boa lembrança da infância.

Benefícios da fantasia na infância

  • Gera autoconfiança;
  • Favorece o desenvolvimento cognitivo;
  • Permite que a criança se comunique de forma desinibida sobre medos, angústias, alegrias e frustrações;
  • Prepara as crianças para situações de desafios e dificuldades futuras;
  • Incentiva o desenvolvimento saudável e diminui os níveis de ansiedade.

Acompanhe
nossas
redes sociais