“É preciso agir com seriedade e pensar na comunidade”, diz Lorival Silveira

CÂMARA DE LAJEADO

“É preciso agir com seriedade e pensar na comunidade”, diz Lorival Silveira

Presidente eleito pretende dar continuidade aos trabalhos com apoio de todo o parlamento.

Por

“É preciso agir com seriedade e pensar na comunidade”, diz Lorival Silveira
Foto: Pedro Rodrigues
Lajeado

A nova mesa diretora do parlamento de Lajeado eleita nessa terça-feira, 26, participou de entrevista no programa Frente e Verso desta quarta-feira, 27. O trio falou sobre os trabalhos realizados no Legislativo ao longo deste ano e os projetos para 2024. Apenas uma chapa foi formada por Lorival Silveira, presidente (PP); Heitor Hoppe, vice (PP); e Paula Thomas, como secretária (PSDB).

Lorival que assume a presidência pela quarta vez pretende dar continuidade aos trabalhos da atual presidente. Paula diz que 2023 foi um ano que contou com o envolvimento de todos os vereadores, em um período difícil por conta das enchentes. “Todos fizeram sua parte.”

Destacam projetos que tramitaram na câmara como, por exemplo, os auxílios aos atingidos pela enchente. “Mesmo com a câmara fechada devido à água que atingiu as estruturas, fizemos sessão online para aprovar os projetos e dar celeridade aos processos. Esse é o principal papel. Fazer com que o Executivo ande”, declara ela.

Sede própria para a câmara

Conforme o presidente eleito, o assunto não está em pauta para 2024. “Defendo a sede própria para o Legislativo, mas não é nossa prioridade no momento, ainda mais se tratando de ano eleitoral”, enfatiza.
Outro assunto tratado com os novos representantes foi o projeto de implantação da guarda armada, travado no parlamento, e a destinação da área do Daer.

“A sede do Daer contempla uma área muito valiosa e precisa ser vendida, mas quando estiverem prontas e concluídas as obras que foram feitas na negociação e entregues para a administração. Não sou contra, mas precisa seguir os passos. Em relação a guarda municipal, não sou contra, acho importante, mas não vejo momento exato para tratar disso e, muito menos, como o projeto chegou à câmara. É um projeto que precisa ser amplamente discutido com a sociedade”, posiciona Silveira.

Já Hoppe, defende o projeto da guarda municipal desde o início e acrescenta: “Precisamos evitar desperdícios em áreas desnecessárias e investir em áreas necessárias. Segurança pública é um dos principais valores que a gente tem como cidadão. Se podemos otimizar a segurança pública no município com o projeto da guarda municipal, devemos fazer. Oportunidade de qualificar a segurança pública de Lajeado e ampliar os serviços”, opina.
Quanto a área do Daer, ele diz que não se pode ter pressa. “É muito valiosa e precisa ter projetos para aproveitar muito bem.” Para Paula, a discussão da guarda esfriou. Ela diz ser a favor, mas o assunto não foi tratado com prioridade. “Temos bastante tempo no próximo ano para debater o tema.”

Ano eleitoral

Conforme o novo presidente, não somente no ano eleitoral, mas durante todo o mandato é preciso respeitar o regimento interno. “É preciso agir com seriedade, pensar na comunidade. Ano eleitoral é muito difícil, mas vamos conduzir da melhor forma possível”, garante Silveira.

Hoppe acredita que o executivo não pode pensar em guardar recursos para o último ano. “Como vereador, temos que continuar trabalhando da melhor maneira possível pensando na comunidade, e não no pleito eleitoral.”

Paula acrescenta que as regras precisam ser respeitadas. “Ano eleitoral temos limitações nas questões de projetos. Vamos seguir e se estiver errado, vamos revisar e mudar”, afirma.

O presidente eleito

Quando indagado sobre a oposição ter assumido a câmara, o presidente eleito comenta: “Nós, como vereadores, somos representantes da comunidade. Muitas pessoas trazem demandas e tentamos atendê-las. Destaque para a melhora na área da saúde. As críticas são para agregar e chamar atenção para o que não está funcionando e tenho que dar respostas para quem confiou em mim. Quando não estou de acordo com um projeto, me oponho antes da votação, todos me conhecem e sabem há 23 anos como trabalho.”

Assista a entrevista na íntegra

 

 

Acompanhe
nossas
redes sociais