Prefeito de Roca Sales busca soluções para reduzir impacto das cheias

PÓS-ENCHENTE

Prefeito de Roca Sales busca soluções para reduzir impacto das cheias

Amilton Fontana avalia obras no município. Desassoreamento de arroios e obra de canal na lagoa do Delai estão entre ações estudadas

Por

Atualizado quarta-feira,
20 de Dezembro de 2023 às 09:23

Prefeito de Roca Sales busca soluções para reduzir impacto das cheias
Foto: Matheus Giovanella Laste
Roca Sales

O prefeito da Cidade da Amizade, Amilton Fontana trabalha com foco na possibilidade de obras para diminuir o impacto das cheias no município. Além da visita em Santa Catarina, o prefeito recentemente percorreu São Leopoldo para estudar como o município da região metropolitana fez para conter as enchentes.

Todos os estudos feitos pela prefeitura serão apresentados no início de 2024 em uma audiência pública.
“Estudos com engenheiros e profissionais técnicos de cada área de atuação estão sendo realizados”, detalhou o gestor.

Entre os projetos da prefeitura de Roca Sales para a redução das cheias estão o desassoreamento de arroios e abrir um canal na lagoa do Delai para o melhor escoamento da água. Além disso, o governo municipal também irá aprofundar valas, remover materiais depositados de enchentes e melhorar o escoamento dos arroios na cidade.

Foto: Matheus Giovanella Laste

Moradias

Recentemente, o município adquiriu uma área de 30 mil metros quadrados para a construção de moradias definitivas para pessoas que foram vítimas da enchente. A previsão é de que este local contemple pelo menos 74 lotes. No total, Roca Sales encaminhou ao governo federal o pedido de 330 moradias permanentes para pessoas que foram atingidas pelas cheias de setembro e novembro.

Próximas ações 

A administração formalizou junto a secretaria de Habitação e Regularização Fundiária do governo do Estado, um termo de cooperação com o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Rio Grande do Sul (Sinduscon/RS) para a construção de 20 moradias temporárias aos desabrigados pelas enchentes. Estas casas temporárias ficarão em um lugar seguro para estas famílias enquanto elas aguardam por suas residências definitivas, que serão construídas com recursos do governo federal.

No município, já foram iniciadas as obras de terraplanagem e a ligação de água e luz da área onde serão construídas as moradias temporárias. O modelo destas casas segue a inspiração das vilas de passagem erguidas em São Sebastião, no Litoral de São Paulo. As casas temporárias serão totalmente mobiliadas, para que as famílias retomem suas rotinas enquanto aguardam por suas moradias permanentes.

O critério para destinação das unidades será de acordo com o número de membros das famílias. Para até três pessoas, sendo dois adultos e uma criança de até 12 anos, o espaço será de 18 metros quadrados. A partir de quatro pessoas, a unidade será de 36 metros quadrados ou mais, conforme a faixa etária dos moradores.

Acompanhe
nossas
redes sociais