“Não é briga política”, diz secretária que denunciou vereador de Estrela

ENTREVISTA | FRENTE E VERSO

“Não é briga política”, diz secretária que denunciou vereador de Estrela

Renata Cherini e Tatiana de Oliveira explicam motivações para pedido de cassação de Volnei Zancanaro

Por

Atualizado terça-feira,
19 de Dezembro de 2023 às 11:41

“Não é briga política”, diz secretária que denunciou vereador de Estrela
Renata Cherini e Tatiana de Oliveira (Foto: Mateus Rois)
Estrela

A última sessão ordinária do ano na câmara de vereadores de Estrela teve clima de tensão na noite desta segunda-feira, 18. O encontro contou com protesto de moradores a favor de Volnei Zancanaro (União Brasil) e pedido de afastamento de Renata Cherini e Tatiana de Oliveira dos cargos de secretária de Desenvolvimento Social e Habitação e diretora-geral, respectivamente, o que foi reprovado com dez votos.

Durante entrevista ao programa Frente e Verso, desta terça-feira, 19, elas explicam motivação para pedido de cassação do vereador Zancanaro.

Conforme Renata, o pedido partiu após se sentirem atacadas e desrespeitadas por parte do parlamentar. “O que está em mérito não é se ele é um bom ou ruim vereador. No momento que abala tua vida pessoal, que começa a criar situações desgastantes, precisamos procurar nossos direitos”, desabafa.

Ela destaca também que os áudios gravados pelo vereador são falas nervosas, ameaças enviadas através de gravações fora do horário, às 7h e 22h. “Chegou o momento de dar um basta. Não podemos pregar da boca para fora e fazer o que achamos certo e justo”, ressalta.

Renata garante que após o episódio, as duas procuraram a Câmara de Vereadores e o Ministério Público para medidas cabíveis já que existe um decreto que tange os vereadores, a Lei 201/67, artigo que fala quando o vereador passa de sua conduta requer punição. “Não existe guerra nem disputa. Não é uma briga política e, sim, garantia de direitos”, enfatiza.

Tatiana conta que foram quatro áudios encaminhados pelo vereador Zancanaro citando assunto referentes ao aluguel social após enchente de setembro, Pix e programa Volta por Cima. “Fomos coagidas, assediadas moralmente, tudo fora do horário de trabalho”.

Próximos passos

Renata esclarece que pretendem conduzir dentro da legalidade. “Não queremos brigas nem confusões. Não podemos garantir o direito dos outros e não garantir os nossos”, conclui.

“A violência emocional e psicológica é tão grava quanto a física, as pessoas precisam entender isso, só queremos respeito, diz Tatiana.

Posicionamento vereador

Procurado pela produção do Grupo A Hora, a assessoria do vereador informou que não irá se manifestar, pois até o momento não há processo. O parlamentar solicitou vistas na noite desta segunda-feira, sob a justificativa de estudar melhor o documento e elaborar defesa administrativa.

Assédio Moral

É a exposição de pessoas a situações humilhantes e constrangedoras no ambiente de trabalho, de forma repetitiva e prolongada, no exercício de suas atividades. É uma conduta que traz danos à dignidade e à integridade do indivíduo, colocando a saúde em risco e prejudicando o ambiente de trabalho.

Assista a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais