Teutônia e Estrela são alvo da PF em operação contra importação irregular

POLÍCIA

Teutônia e Estrela são alvo da PF em operação contra importação irregular

Centro de distribuição ficava em Teutônia. Grupo investigado usava plataforma de marketplace para vender produtos para clientes de 13 estados.

Por

Atualizado terça-feira,
12 de Dezembro de 2023 às 09:38

Teutônia e Estrela são alvo da PF em operação contra importação irregular
Foto: PF / Divulgação
Vale do Taquari

A Polícia Federal, com apoio da Brigada Militar, deflagra, nesta terça-feira, 12, a Operação Adega Virtual, para desarticular esquema de venda de produtos importados sem as devidas declarações e tributações, comercializados em plataformas digitais.

A ação ocorre nos municípios gaúchos de Teutônia, Estrela, Santa Rosa e Porto Mauá com o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão, sete medidas cautelares substitutivas da prisão preventiva para sete investigados e a suspensão das atividades de três empresas — CNPJs para emissão de notas.

Segundo o responsável por comandar a operação e titular da delegacia da Polícia Federal de Santa Cruz do Sul, Mauro Lima Silveira, um centro de distribuição foi identificado em Teutônia. Porém, não foram encontradas quantidades significativas de produtos, já que a venda era feita quase de maneira imediata.

Também são executadas ordens judiciais de arresto/sequestro de veículos e imóveis avaliados em aproximadamente R$ 1,6 milhão e o bloqueio de valores depositados em contas bancárias dos investigados e de empresas.

A apuração teve início em setembro de 2022, após informações repassadas pela Brigada Militar que indicavam a possível existência de um esquema criminoso, uma vez que caminhões faziam entregas semanais de grandes quantidades de bebidas em uma residência em Teutônia.

Ação semelhanta aconteceu na semana passada na região. Confira AQUI

A investigação indica que o grupo vem agindo desde 2020 e teria comercializado mais de R$ 2,5 milhões em mercadorias como peças automotivas, lâmpadas incandescentes, perfumes, eletrônicos e principalmente bebidas importadas sem o recolhimento de tributos. Posteriormente, os produtos eram comercializados através de plataforma de marketplace, com pessoas de ao menos outros 12 estados da federação, além do Rio Grande do Sul.

Os investigados deverão responder pelos crimes de descaminho e associação criminosa – artigos 334 e 288 do Código Penal, cujas as penas somadas podem alcançar até 7 anos de reclusão.

Mandados de busca expedidos, por município:

  • Estrela – 2
  • Teutônia – 1
  • Santa Rosa – 2
  • Porto Mauá – 1

Assista a entrevista com o delegado

Acompanhe
nossas
redes sociais