Moradores fazem abaixo-assinado por inclusão de retorno na BR-386

MARQUES DE SOUZA

Moradores fazem abaixo-assinado por inclusão de retorno na BR-386

Comissão Tripartite e CCR ViaSul discutem viabilidade da mudança, que depende de revisão contratual e aval da ANTT

Por

Moradores fazem abaixo-assinado por inclusão de retorno na BR-386
Agricultor e morador de Linha Perau, Adair Leocádio Laux afirma que a falta de retornos prejudicou o trabalho na comunidade (Foto: Gabriel Santos)
Marques de Souza
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Moradores lindeiros à BR-386 em Marques de Souza organizam um novo abaixo-assinado para reivindicar a inclusão de um retorno no trecho duplicado da BR-386. A ação visa sensibilizar a CCR ViaSul e a Comissão Tripartite para a necessidade de melhorias na região, onde os residentes enfrentam dificuldades devido à longa distância entre os retornos existentes, localizados em Linha Picada Flor e próximo ao acesso de Forquetinha.

O documento destaca a importância de um novo retorno entre os quilômetros 330 e 337, sugerindo que a concessionária escolha um local considerado seguro para a implementação. O agricultor Adair Leocádio Laux,71, ressalta que a falta de um retorno próximo prejudica o acesso às suas lavouras, localizadas do outro lado da rodovia, tornando a locomoção um desafio. “Isso prejudica nosso trabalho e também a cidade. As pessoas preferem sair daqui. Hoje, é mais fácil ir para Lajeado do que para Marques de Souza”, reclama.

Cerca de 30 assinaturas já foram coletadas durante uma primeira reunião na Agroindústria Favo de Mel. Além dos moradores, questões relacionadas à rodovia são tratadas pelo prefeito Fábio Alex Mertz, representantes da CCR Via Sul e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Além da inclusão de retorno, outra demanda é para a melhoria de acessos, vias laterais e construção de paradas de ônibus. “O objetivo central é reforçar as reivindicações feitas nos últimos anos”, destaca o representante da comissão criada na câmara de vereadores, liderada por Amenófis Stake (Republicanos).

Alteração é possível

Segundo a CCR Via Sul, a revisão quinquenal nas comunidades lindeiras é uma obrigação prevista em contrato, a cada cinco anos. A discussão ocorre por meio da Comissão Tripartite, envolvendo todos os públicos interessados, e identifica pontos a serem readequados no trecho, neste caso os 20 quilômetros entre Marques de Souza e Lajeado.

A concessionária destaca que, uma avaliação da ANTT pode resultar em um aditivo contratual, previsto para fevereiro do próximo ano. Este aditivo permitiria fechar as indicações à comunidade para obras complementares e determinar a intervenção no trecho. A mudança depende, portanto, da revisão contratual e do aval da agência reguladora.

Todas as reivindicações serão encaminhadas até fevereiro de 2024. Após avaliação, os documentos são enviados à agência reguladora e estando de acordo, é encaminhado às obras complementares e a determinação de qual ano será realizada a intervenção.

Acompanhe
nossas
redes sociais