O racismo que ainda impera

Opinião

Fabiano Conte

Fabiano Conte

Jornalista e Radialista

O racismo que ainda impera

Por

O vereador de Roca Sales Antonio Valesan, conhecido como Pegari, causou polêmica ao proferir uma declaração que levanta questionamentos sobre a persistência do racismo em nossa sociedade. Ao referir-se à necessidade de realizar obras no município, o político afirmou que se trata de “trabalho de gente branca”, levantando críticas e reações contundentes. Apesar de ter posteriormente pedido desculpas pela sua fala, a repercussão do episódio destaca o quão longe ainda estamos de alcançar uma sociedade verdadeiramente igualitária. A declaração do vereador evidencia a presença de estereótipos raciais e preconceitos enraizados, mesmo em espaços públicos onde se espera o contrário. Este incidente destaca a urgência de avançarmos na luta contra o racismo, não apenas como indivíduos, mas como sociedade. Repreender todas as formas de discriminação racial é essencial para a construção de uma comunidade mais justa e inclusiva. Além disso, ressalta a importância de os políticos, enquanto representantes públicos, darem exemplo e promoverem o respeito à diversidade.

De saída

Edson José Mallmann confirma que vai deixar a Secretaria de Sustentabilidade em Santa Clara do Sul e assumir sua cadeira na Câmara. Nos bastidores, a informação é de ele concorra a presidência da casa em 2024. No lugar dele, deve assumir como secretário José Antônio Goergen, o Toninho.

Rodovias precárias

O estudo sobre rodovias, apresentado nesta semana, só comprova o que o cidadão constata diariamente ao circular pelas rodovias. O levantamento revela que 67,5% das estradas brasileiras enfrentam problemas, classificadas como regulares, ruins ou péssimas, enquanto apenas 32,5% mantêm padrões ótimos ou bons. No Rio Grande do Sul, 72,2% da malha pavimentada apresenta falhas, impactando 33,6% nos custos operacionais do transporte e refletindo negativamente na competitividade nacional. A má conservação gera despesas de R$ 7,49 bilhões, prejudicando a economia e aumentando o consumo desnecessário de recursos.

Projeções otimistas

Fiergs e Federasul apresentaram visões divergentes sobre o crescimento econômico para o PIB nacional e gaúcho em 2024. Enquanto a Fiergs prevê um crescimento de 4,7% para o Rio Grande do Sul, a Fecomércio-RS mantém uma perspectiva otimista, mas mais conservadora, apontando um crescimento de 3,5%. Para o PIB brasileiro, a Fiergs trabalha com elevação de 1,5% e a Fecomércio 2,2%.

Prefeitos apoiam aumento do ICMS

A Famurs reuniu 60 prefeitos em audiência com o governador Eduardo Leite para discutir o projeto de aumento da alíquota básica do ICMS de 17% para 19,5%. Após esclarecimentos e questionamentos, Leite convenceu os prefeitos e a tendência é de indicativo de apoio ao projeto estadual. A posição oficial será formalizada em assembleia com os 28 presidentes das associações regionais. Marcelo Caumo, prefeito de Lajeado, declarou que é contra.

Acompanhe
nossas
redes sociais