Projeto de médio prazo começa a se consolidar em Estrela

COMPLEXO EMPRESARIAL

Projeto de médio prazo começa a se consolidar em Estrela

Às margens da BR-386, em Estrela, o novo complexo de negócios atrai empresas que buscam evitar áreas alagáveis. O governo municipal também projeta formas de incentivar os empreendimentos na cidade

Por

Atualizado terça-feira,
28 de Novembro de 2023 às 09:28

Projeto de médio prazo começa a se consolidar em Estrela
Anúncio de incentivo às empresas foi feito ontem no gabinete do prefeito. (Foto: KARINE PINHEIRO)
Estrela
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Começa a ganhar forma o shopping a céu aberto de Estrela. Anunciado em 2017, o 386 Business Park recebeu o primeiro empreendimento, a Medical San, em 2022. Desde agosto, mais três foram anunciados: Rodoil Distribuidora de Combustíveis, Bouwman Tecnologia Agropecuária e, agora, a STW.

A mudança de endereço da empresa especializada em automação industrial foi confirmada na semana passada. Ontem, 27, o prefeito de Estrela, Elmar Schneider, o empresário CEO do Richter Gruppe, empresa idealizadora do 386 Business Park, José Paulo Richter, e o diretor técnico da STW, Júnior Sulzbach, participaram de coletiva de imprensa para anunciar o investimento, previsto em R$ 20 milhões entre construção do prédio, infraestrutura e instalação de maquinários.

A STW tem hoje sede na rua Bento Rosa, em Lajeado, e foi atingida pelas enchentes de setembro e novembro. O prejuízo foi estimado em R$ 2 milhões. “Voltei de viagem na semana passada e encontrei a empresa debaixo d’água novamente. São 150 pessoas que dependem dessa decisão [de mudança de local]”, enfatizou Sulzbach.

As obras devem durar 12 meses, com início das operações em Estrela previsto para janeiro de 2025. Com a aquisição de uma empresa de São Paulo, os sócios esperam começar a construção das novas máquinas já em Estrela.

Expansão em Estrela

Conforme Richter, a mudança de endereço da STW agrega ao ecossistema de negócios que se forma à beira da BR-386. “Nós não temos dúvida de que com a vinda dessa empresa, fortalece e confirma que teremos neste espaço um case de negócios a nível de estado e Brasil”, reforça.

Ao todo, nove empresas estão confirmadas para a área de 100 mil metros quadrados, o que representa R$ 85 milhões em negócios. Quando o empreendimento estiver completamente desenvolvido, a estimativa é que mais de 500 pessoas trabalhem no local. O ponto vai oferecer também espaço destinado ao turismo, chamado “Caminhos do Vale”. Localizado na Linha Delfina, o parque fica a 103 km de Porto Alegre e 22 km de Lajeado.

Nos arredores do Business Park, já está instalada a usina de asfalto da CCR Via Sul, o centro de distribuição do Mercado Livre, o Posto de Combustível da Rede Sim, além do distrito industrial do município. Em setembro, o Grupo Passarela anunciou a instalação de um centro de distribuição no Complexo Betiolo, que também fica nas proximidades do local.

Incentivos às empresas

“A gente precisa de sinergia com o município e com as empresas para que elas se instalem nesse novo local”, reitera Richter. Para a instalação da STW no 386 Business Park, foi encaminhada à Câmara de Vereadores de Estrela a solicitação de 10 anos de retorno de 50% de Imposto Sobre Serviços (ISS) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Na coletiva de imprensa de ontem, 27, o governo de Estrela anunciou também a doação de área de terra do distrito industrial para as empresas Caps Express e Adhesive Label, também atingidas pela enchente.

“O olhar da gestão é mantermos as empresas em Estrela. De que forma nós estamos propondo isso ao legislativo? Em doação de áreas para que possam sair de áreas alagáveis e ampliar a produtividade e a geração de empregos aqui no município”, explica o prefeito Elmar Schneider.

O futuro do local

Além da movimentação empresarial, a região receberá também o Vale Village, com foco residencial e comercial, de forma mista, em 99 terrenos. A pretensão é atender à lacuna que deve crescer dos trabalhadores das empresas que se instalarem no parque de negócios. O espaço foi pensado para atender o conceito de cidade inteligente, e dará força aos novos empreendimentos do 386.

Conforme Schneider, o município se prepara para atender a demanda que surgirá. “Naquele local, nós já estamos trabalhando para que possamos anunciar logo uma novidade. Eu espero poder fazer isso na minha palestra, no dia 8 de dezembro, na Cacis. É um lugar de investimento para moradias e também espaço para restaurantes”, completa.

Sobre o 386 Business Park

  • Início das obras em setembro de 2017;
  • 100 mil metros quadrados de área disponível para os empreendimentos;
  • 40% já ocupado;
  • R$ 85 milhões em negócios;
  • Expectativa de ter mais de 500 pessoas trabalhando diretamente no local.

Acompanhe
nossas
redes sociais