Aprender com os erros

Opinião

Filipe Faleiro

Filipe Faleiro

Jornalista

Aprender com os erros

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A segunda enchente de grandes proporções deste 2023 teve características diferentes da catástrofe de setembro. Atingiu mais municípios e começou com o transbordamento dos arroios na parte baixa do Vale.

Depois as nuvens carregadas subiram para o norte, onde trouxeram elevação dos níveis dos principais afluentes do Taquari nas cabeceiras. Foi uma cheia gradual e constante. Houve mais tempo para resposta, pois os alertas ocorreram durante a manhã e tarde do sábado, com o pico previsto para madrugada.

Por mais que se tenha sido possível retirar muitos pertences das famílias ribeirinhas e o Vale não ter tido óbitos, há muito ainda para aprender. Destaco o entendimento sobre as cheias. Essa característica diferente de inundação é sintomática.

Compreender como o volume de chuva interfere sobre os níveis da água vai além de olhar para o que ocorre na parte alta. Também é necessário melhor acompanhamento sobre mananciais menores e em diferentes regiões. Para se ter uma ideia, em Cruzeiro do Sul, na sexta-feira, a enxurrada teve efeitos em moradores do interior, devido ao Castelhano e ao Sampaio. Pontos de monitoramento precisam ser pensados em mais localidades.

Futuro digno da ficção científica

Luiz Candreva. (Foto: ISABEL CORNELIUS)

No EmpreInove, evento promovido pelo Grupo A Hora e pela Acil, o “futurista”, Head de Inovação, Luiz Candreva, apresentou alguns movimentos mundiais em torno de invenções que prometem revolucionar o mundo.

Imagine daqui a 50, 100 ou 200 anos. Pegue como base as mudanças desde a revolução industrial e tente criar um cenário possível. Neste ambiente, as histórias de Jornada nas Estrelas podem parecer profecias.

Pegamos algo já em curso: a alimentação. Já é possível reproduzir as moléculas das carnes e criar cortes como se fossem aos trazidos dos frigoríficos. Um dos líderes nesse cenário emergente é Singapura, que detém patentes cruciais para essas tecnologias inovadoras.

A chamada bioimpressão 3D é uma técnica que transforma células musculares cultivadas em laboratório em produtos alimentícios reais. Este método não apenas aborda questões éticas relacionadas à produção de carne, mas também tem o potencial de gerar uma disrupção na indústria alimentar. Ao imprimir carne sob demanda, se evita o uso excessivo de recursos naturais.

As seis lições de Candreva

  1. O futuro não comporta juízo de valor
  2.  Distribuído, individualizado, personalizado e único
  3. O futuro não pode ser visto com os olhos do passado
  4. O futuro chega de forma heterogênea
  5. Profissional do futuro: resolvedor de problemas complexos
  6. Ação no presente com aprendizados do passado

     

Drops high tech

A volta dos que não foram. O mercado das grandes de tecnologia foi tumultuado nos últimos dias. Promessas de demissão em massa na Open IA (criadora do Chat GPT) após o afastamento do CEO, Sam Altman. Quando ele se aproximou da Microsoft, a surpresa. Foi recontratado.

Supercomputador tupiniquim. Máquina chamada Santos Dumont está entre os supercomputadores mais rápidos do mundo. Ele opera com alta velocidade de processamento, grande capacidade de memória, rede de comunicação e sistema de armazenamento paralelo.

Mercado de smartphones. Depois de 27 meses de resultados negativos, a venda de smartphones volta a crescer. O mercado foi afetado pela escassez de componentes, acúmulo de estoques e prolongamento dos ciclos de substituição.

Acompanhe
nossas
redes sociais